Na manhã da última sexta-feira (14/01), aconteceu o lançamento oficial do programa Pró-leite da Cooperativa Languiru.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O anunciou ocorreu em evento realizado no Salão Social da Associação dos Funcionários, em Teutônia. O plano de suporte aos produtores de leite tem foco no desenvolvimento da cadeia leiteira.

Segundo o presidente da Cooperativa, Dirceu Bayer, o programa surge justamente num período em que os produtores tem enfrentado sérias dificuldades em razão da estiagem. A estimativa é que o Rio Grande do Sul tenha perdido cerca de 50% dos seus produtores de leite nos últimos anos. O número também é refletido no cenário regional.

“Nós tivemos a ideia de reforçar esses programas em razão da atual situação que se encontra o produtor de leite. A frustração de safras atingiu especialmente esses produtores e eles chegam a ter agora preocupação com a própria alimentação do rebanho. Em função da estiagem, as lavouras foram praticamente perdidas e o produtor esta desamparado”, relata.

Atualmente, a cooperativa conta com seis mil associados e cerca de 95% deles são produtores de leite, o que representa cerca de 450 mil litros de leite produzidos diariamente. Com o programa, a Languiru irá incrementar uma série de novos quesitos para a remuneração do produtor, além dos já existentes, gerando um incremento aproximado de R$ 800 mil por mês no campo.

Se alcançar a maior faixa de desempenho, o produtor pode agregar cerca de 15% no valor médio que vem recebendo pelo litro de leite. Inicialmente, o Pró-Leite terá duração de seis meses, podendo ser postergado após o término do período. Além disto, a cooperativa ainda busca aumentar o seu mix de produtos em 2022, construindo uma queijaria própria.

“Nós estamos implantando este projeto dentro do nosso princípio de agregar valor a matéria-prima. No leite, infelizmente, a nossa dependência é muito grande ainda do leite UHT. No RS nós somos o maior fornecedor de leite UHT, mas isso não se traduz naturalmente num acerto. Precisamos agregar valor ao produto, pois o UHT nos dá resultado durante metade do ano e a outra metade nos dá prejuízo”, pontua.

 

Expansão para o Vale do Rio Pardo

Durante o evento, a Cooperativa também anunciou a expansão para Rio Pardo. O município irá receber um Agrocenter da Languiru e, posteriormente, uma central de resíduos de grãos. “Nós tivemos a participação muito grande da municipalidade de Rio Pardo. Eles nos cederam o prédio e o nosso investimento é na reforma desta estrutura. A partir do momento que nós anunciamos este investimento aquela região já vem recebendo com a entrega do cereal milho”, conclui.

A China é o maior mercado de comércio eletrônico do mundo, com um valor estimado de vendas de produtos agroalimentares através do comércio eletrônico de pouco menos de 82 bilhões de euros em 2020.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER