O seminário “Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta: panorama, perspectivas e experiência”, realizado durante a 13ª Semana de Integração Tecnológica, contou com a participação do pesquisador da Embrapa e presidente da Associação Rede ILPF Renato Rodrigues.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O seminário “Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta: panorama, perspectivas e experiência”, realizado durante a 13ª Semana de Integração Tecnológica, contou com a participação do pesquisador da Embrapa e presidente da Associação Rede ILPF Renato Rodrigues. Na palestra, ele ressaltou uma meta que o Plano Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC), do Ministério da Agricultura, trouxe para o Brasil: atingir quatro milhões de hectares com o sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) entre os anos de 2012 e 2020. “Esta meta não só foi cumprida, mas foi superada. De 2010 a 2015, o sistema ILPF atingiu 11,5 milhões de hectares. E agora, em 2020, são 17,4 milhões de hectares”, disse Rodrigues. Ele destacou alguns dos principais benefícios do sistema ILPF: “pode ser adaptado por produtores pequenos, médios e grandes, em todos os biomas e em vários formatos; aumenta a produtividade; reduz riscos de produção; agrega valor aos produtos e aumenta a qualidade ambiental. O sistema também reduz a necessidade de abertura de novas áreas e promove a mitigação de emissões de gases efeito estufa”. Casos de sucesso O seminário abordou também casos de sucesso de transferência de tecnologia pela Embrapa Milho e Sorgo, em Minas Gerais. “As cooperativas têm um papel fundamental para a implementação das estratégias do sistema ILPF nas propriedades rurais”, disse o engenheiro agrônomo Fredson Chaves, da Embrapa Milho e Sorgo, moderador das palestras. De Unaí-MG, o engenheiro Rafael Vinícius e Silva falou sobre o papel da cooperativa para a implantação do sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e seus resultados na propriedade rural, um caso da Cooperativa Agropecuária Unaí Ltda. (Capul). A região abriga uma significativa cadeia produtiva de leite e de gado de corte. Ele destacou a importância da ILP, da parceria entre os produtores rurais e da pesquisa agropecuária para o sucesso das atividades. Em seguida, foi apresentado o trabalho realizado por agricultores de Abaeté, cidade da região Centro-Oeste de Minas Gerais. Participaram o engenheiro agrônomo Sinval Resende Lopes, da Embrapa Milho e Sorgo, o técnico extensionista Fernando Cezar Couto, da Emater-MG, o gerente Sérgio Henrique Teixeira da Silva, do Sicoob Credioeste, e a produtora rural e empresária Conceição Aparecida Gomes. Eles abordaram o trabalho da transferência de tecnologia, acesso a crédito e os benefícios do sistema ILP na propriedade – Caso Abaeté. Sinval Lopes apresentou o projeto “Agricultura tecnificada como suporte à pecuária leiteira na região de Abaeté”. As atividades foram conduzidas pela Embrapa Milho e Sorgo, pelo Sicoob Credioeste e pela Emater Minas na Fazenda São Simão de Baixo. “O projeto busca a integração da pesquisa com a extensão rural e a participação da cooperativa e dos produtores. As tecnologias utilizadas foram a Integração Lavoura-Pecuária, a Recuperação de Pastagens Degradadas, o Controle Biológico de Pragas e o Manejo e a Conservação do Solo”, disse Lopes. Sobre o acesso ao crédito rural, Sérgio Teixeira ressaltou que o Siccob Credioeste tem feito um trabalho muito importante para conceder o crédito adequado no momento certo. O conhecimento sobre tecnologias agrícolas também contribui para a análise do crédito. Fernando Couto falou sobre o planejamento realizado para a recuperação da pastagem da Fazenda São Simão de Baixo. Na propriedade foi implantado o sistema ILP com sorgo e a braquiária BRS Piatã. Outras tecnologias utilizadas foram as Barraginhas e o Controle Biológico de Pragas com o Trichogramma. Este trabalho ganhou o prêmio “Destaque Melhor Inovação” da Emater Minas. “São premiados os melhores projetos de cada região”, disse Couto. O projeto foi divulgado nas mídias sociais da empresa e de lá chegou ao conhecimento das Organizações das Nações Unidas. A empresária Conceição Aparecida Gomes, proprietária da fazenda, foi entrevistada pela ONU e por outros veículos de comunicação. Ela considera que o produtor rural precisa conhecer as novas tecnologias. “A Embrapa, o Sicoob Credioeste e a Emater me auxiliaram no momento que eu mais precisava”, disse. Para assistir ao vídeo do Seminário ILPF no Canal da Embrapa Milho e Sorgo no YouTube, clique: https://www.youtube.com/watch?v=FCqVIdguNMY Dia de campo No dia de campo virtual com temas do Sistema ILPF, os palestrantes apresentaram três trabalhos realizados na Embrapa Milho e Sorgo: o “Sistema ILPF com ênfase no componente florestal”; o “Sistema ILP com ênfase na produção de grãos e silagem”; e a “Fase pastagem e a produção animal em sistemas integrados”. Para assistir ao vídeo do dia de campo ILPF no canal da Embrapa Milho e Sorgo no YouTube, acesse www.youtube.com/watch?v=nDV_Wdkx1sQ

O seminário “Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta: panorama, perspectivas e experiência”, realizado durante a 13ª Semana de Integração Tecnológica, contou com a participação do pesquisador da Embrapa e presidente da Associação Rede ILPF Renato Rodrigues.

Na palestra, ele ressaltou uma meta que o Plano Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC), do Ministério da Agricultura, trouxe para o Brasil: atingir quatro milhões de hectares com o sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) entre os anos de 2012 e 2020.

“Esta meta não só foi cumprida, mas foi superada. De 2010 a 2015, o sistema ILPF atingiu 11,5 milhões de hectares. E agora, em 2020, são 17,4 milhões de hectares”, disse Rodrigues.

Ele destacou alguns dos principais benefícios do sistema ILPF: “pode ser adaptado por produtores pequenos, médios e grandes, em todos os biomas e em vários formatos; aumenta a produtividade; reduz riscos de produção; agrega valor aos produtos e aumenta a qualidade ambiental. O sistema também reduz a necessidade de abertura de novas áreas e promove a mitigação de emissões de gases efeito estufa”.

 

Casos de sucesso

O seminário abordou também casos de sucesso de transferência de tecnologia pela Embrapa Milho e Sorgo, em Minas Gerais. “As cooperativas têm um papel fundamental para a implementação das estratégias do sistema ILPF nas propriedades rurais”, disse o engenheiro agrônomo Fredson Chaves, da Embrapa Milho e Sorgo, moderador das palestras.

De Unaí-MG, o engenheiro Rafael Vinícius e Silva falou sobre o papel da cooperativa para a implantação do sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e seus resultados na propriedade rural, um caso da Cooperativa Agropecuária Unaí Ltda. (Capul). A região abriga uma significativa cadeia produtiva de leite e de gado de corte. Ele destacou a importância da ILP, da parceria entre os produtores rurais e da pesquisa agropecuária para o sucesso das atividades.

Em seguida, foi apresentado o trabalho realizado por agricultores de Abaeté, cidade da região Centro-Oeste de Minas Gerais. Participaram o engenheiro agrônomo Sinval Resende Lopes, da Embrapa Milho e Sorgo, o técnico extensionista Fernando Cezar Couto, da Emater-MG, o gerente Sérgio Henrique Teixeira da Silva, do Sicoob Credioeste, e a produtora rural e empresária Conceição Aparecida Gomes. Eles abordaram o trabalho da transferência de tecnologia, acesso a crédito e os benefícios do sistema ILP na propriedade – Caso Abaeté.

Sinval Lopes apresentou o projeto “Agricultura tecnificada como suporte à pecuária leiteira na região de Abaeté”. As atividades foram conduzidas pela Embrapa Milho e Sorgo, pelo Sicoob Credioeste e pela Emater Minas na Fazenda São Simão de Baixo.

“O projeto busca a integração da pesquisa com a extensão rural e a participação da cooperativa e dos produtores. As tecnologias utilizadas foram a Integração Lavoura-Pecuária, a Recuperação de Pastagens Degradadas, o Controle Biológico de Pragas e o Manejo e a Conservação do Solo”, disse Lopes.

Sobre o acesso ao crédito rural, Sérgio Teixeira ressaltou que o Siccob Credioeste tem feito um trabalho muito importante para conceder o crédito adequado no momento certo. O conhecimento sobre tecnologias agrícolas também contribui para a análise do crédito.

Fernando Couto falou sobre o planejamento realizado para a recuperação da pastagem da Fazenda São Simão de Baixo. Na propriedade foi implantado o sistema ILP com sorgo e a braquiária BRS Piatã. Outras tecnologias utilizadas foram as Barraginhas e o Controle Biológico de Pragas com o Trichogramma.

Este trabalho ganhou o prêmio “Destaque Melhor Inovação” da Emater Minas. “São premiados os melhores projetos de cada região”, disse Couto. O projeto foi divulgado nas mídias sociais da empresa e de lá chegou ao conhecimento das Organizações das Nações Unidas.

A empresária Conceição Aparecida Gomes, proprietária da fazenda, foi entrevistada pela ONU e por outros veículos de comunicação. Ela considera que o produtor rural precisa conhecer as novas tecnologias. “A Embrapa, o Sicoob Credioeste e a Emater me auxiliaram no momento que eu mais precisava”, disse.

Para assistir ao vídeo do Seminário ILPF no Canal da Embrapa Milho e Sorgo no YouTube, clique: https://www.youtube.com/watch?v=FCqVIdguNMY

 

Dia de campo

No dia de campo virtual com temas do Sistema ILPF, os palestrantes apresentaram três trabalhos realizados na Embrapa Milho e Sorgo: o “Sistema ILPF com ênfase no componente florestal”; o “Sistema ILP com ênfase na produção de grãos e silagem”; e a “Fase pastagem e a produção animal em sistemas integrados”.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER