Aumento acumulado nos últimos 12 meses atingiu 39,72%, aponta a Embrapa
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O custo da produção de leite, em Minas Gerais, não para de subir. Somente em agosto foi registrado aumento de 1,82%. A alta foi puxada pela elevação de 7,55% verificada no custo com os combustíveis e da energia elétrica. O resultado mensal elevou para 18,37% a alta acumulada nos primeiros oito meses de 2021

Nos últimos 12 meses, a inflação dos insumos chegou a expressivos 39,72%. No ano, a alta significativa se deve, principalmente, ao encarecimento da alimentação concentrada e de volumosos.

Somente na concentrada, que é à base de milho e soja – grãos que estão com preços valorizados e baixa oferta -, a elevação foi de 64,77% nos últimos 12 meses. As altas constantes vêm comprometendo cada vez mais a margem de lucro dos produtores.

Os dados são do Índice de Custo da Produção Leiteira, elaborado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Unidade Gado de Leite (<a href=”https://www.cileite.com.br/“>ICPLeite/Embrapa</a>)

Conforme a análise dos pesquisadores da Embrapa Gado de Leite, além da alimentação, a pressão de custo provocada por fertilizantes e defensivos,cuja maioria é cotada em dólar, também tem sido acentuada.

Com baixos estoques de grãos, alta nos fertilizantes e um clima mais adverso, a tendência é que os custos continuem elevados”.

O evento terá formato híbrido, com atividades presenciais em Itabaiana e transmissão ao vivo.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER