O preço do leite captado em fevereiro/22 e pago aos produtores em março/22 subiu 3,3% frente ao mês anterior, chegando a R$ 2,2104/litro na “Média Brasil” líquida do Cepea
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O preço do leite captado em fevereiro/22 e pago aos produtores em março/22 subiu 3,3% frente ao mês anterior, chegando a R$ 2,2104/litro na “Média Brasil” líquida do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. “Esse valor supera em 4,1% o registrado no mesmo período do ano passado e é o maior para um mês de março da série histórica do Cepea, iniciada em 2004, em termos reais (valores deflacionados pelo IPCA de fev/22)”, diz o Cepea em nota divulgada nesta quarta-feira (30).

Segundo o Cepea, a valorização do leite no campo ocorre sobretudo em função do aumento dos custos de produção, que têm limitado os investimentos na atividade e, com isso, o potencial de oferta. O Índice de Captação Leiteira (ICAP-L) do Cepea refletiu esse cenário de oferta limitada e registrou queda de 0,63% de janeiro para fevereiro. “É importante frisar que, apesar do preço do leite avançar, isso não significa lucro para o produtor”, pontua o centro de estudos.

Durante fevereiro, as indústrias de laticínios enfrentaram competição acirrada para garantir o abastecimento de matéria-prima, fator que elevou os preços do leite ao produtor. Com estoques reduzidos, os laticínios intensificaram a compra de leite no mercado spot (entre indústrias), visando evitar capacidade ociosa de suas plantas processadoras. Em Minas Gerais, o preço médio saltou de R$ 2,13/litro na primeira quinzena para R$ 2,42/litro na segunda quinzena de fevereiro, alta de 13,9%, conforme pesquisa do Cepea.

Com a matéria-prima mais cara, as indústrias se viram forçadas a fazer o repasse da alta no campo ao preço dos derivados durante todo o mês de fevereiro.

UHT e muçarela

A pesquisa do Cepea, com o apoio financeiro da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), apontou que o valor médio do leite UHT recebido pelas indústrias de laticínios nas negociações com canais de distribuição do estado de São Paulo aumentou 5,8% de janeiro para fevereiro, em termos reais, chegando a R$ 3,40/litro. O valor é 8% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

No caso da muçarela, a valorização de um mês para o outro ocorreu apenas na comparação nominal – quando considerados os dados deflacionados, observa-se que o valor médio de fevereiro, de R$ 24,29, ficou 0,3% abaixo do comercializado em janeiro. Comparando com fevereiro/22, a alta foi de apenas 1,3%.

Março

Em março, tanto o leite spot quanto os derivados registraram consideráveis altas, indicando que o movimento de valorização no campo deve persistir e se intensificar no próximo mês (preço do leite captado em março a ser pago em abril), assinala o Cepea.

Em Minas Gerais, o preço médio do leite spot subiu 15,4% da primeira para a segunda quinzena de março, chegando a R$ 2,93/litro. No caso do UHT e da muçarela, os aumentos foram de 11% e de 16,6% em relação à média do mês anterior (considerando-se dados diários até 29/03/22).

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER