A valorização da empresa recupera mais de 8% após registrar sua maior melhoria trimestral comparável de vendas desde 2014.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
LOGOTIPO DE DANONE EN LA SEDE DE LA COMPAÑÍA EN PARÍS REUTERS

Em março, o novo CEO do grupo, Antoine de Saint-Affrique, disse estar satisfeito com os três negócios da Danone: águas, produtos alimentícios básicos e nutrição especializada. A Lactalis, por sua vez, não comentou sobre o assunto. A Danone, que há alguns meses mudou sua estrutura executiva com a saída do ex-presidente executivo, Emmanuel Faberm, está entre as metas dos principais grupos alimentícios para o crescimento de sua carteira de produtos saudáveis, uma das grandes alavancas para o futuro do setor.

Na pendência de notícias, a empresa fechou o primeiro trimestre antes das expectativas. Sua receita comparável cresceu 7,1% para 6.236 milhões, o maior crescimento nesta variável desde 2014. O aumento anual é de 10,2%, com um desempenho excepcional de seu negócio de água, o que aumentou a receita em 20,5%. O negócio de nutrição especializada cresceu 11,7% e o negócio de alimentos básicos cresceu 6,9%. Por mercados, o crescimento mais forte foi na China, Norte da Ásia e Oceania, 23%, enquanto o mercado europeu, o principal mercado da Danone, cresceu 6,4%. Os volumes vendidos cresceram em 2,2% globalmente, quase 11% no negócio da água.

Apesar destes aumentos, a Danone mantém suas previsões para o ano como um todo, com um crescimento de vendas comparável entre 3% e 5% e uma margem operacional recorrente de mais de 12%.

Com relação à situação na Rússia, a empresa diz que “condena sem ambigüidade” a guerra na Ucrânia e detalha que decidiu “adaptar significativamente suas operações na Rússia”, baseando sua oferta em alimentos básicos, produtos de nutrição infantil e médica, e cessar as importações de suas marcas de água de Evian e leite vegetal Alpro. Também parou todos os novos investimentos, incluindo publicidade, marketing e promoções de vendas. “A Danone não recebe dinheiro, dividendos ou lucros da Rússia, e doará qualquer lucro colhido no país a organizações humanitárias”.

Encontro acontece esta sexta-feira e conta com a presença do secretário de Estado da Agricultura, Rui Martinho.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER