Segundo o Cepea, o resultado se deve ao aumento de 22,4% nas importações de derivados lácteos em comparação com o ano anterior, totalizando 174 mil toneladas
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Segundo o Cepea, o resultado se deve ao aumento de 22,4% nas importações de derivados lácteos em comparação com o ano anterior, totalizando 174 mil toneladas

A balança comercial de lácteos fechou 2020 com déficit anual de 142 mil toneladas, alta de 20,4% frente ao de 2019 e o segundo maior déficit da última década – o maior, de 189 mil toneladas, foi registrado em 2016. A avaliação é de pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), apresentada em boletim mensal de janeiro.

Segundo o Cepea, este resultado se deve ao aumento de 22,4% nas importações de derivados lácteos em comparação com o ano anterior, totalizando 174 mil toneladas.

“A oferta limitada de leite durante todo o ano de 2020 levou a indústria a buscar derivados lácteos no mercado internacional para atender à demanda doméstica”, informa o centro de estudos.

O produto com maior participação nas compras internacionais foi o leite em pó, somando 115 mil toneladas em 2020, alta de 32,9% frente ao volume importado em 2019 (87 mil toneladas). As compras de queijo, em geral, também apresentaram aumento, totalizando 31 mil toneladas em 2020, volume 10,3% maior que o do ano anterior (28 mil toneladas).

As exportações de produtos lácteos, por sua vez, também subiram em 2020, somando 33 mil toneladas, quantidade 32,8% superior à embarcada em 2019.

Apesar da oferta limitada da matéria-prima, o valor do dólar, que atingiu patamares recordes no ano, atraiu compradores internacionais ao mercado brasileiro.

O volume embarcado de leite condensado somou 11 mil toneladas em 2020, aumento de 20% em relação a 2019 (9 mil toneladas). De creme de leite, as exportações também aumentaram, totalizando 8 mil toneladas, volume 20% superior ao de 2019 (6 mil toneladas).

Dezembro

As importações e exportações de derivados lácteos diminuíram no último mês do ano, registrando respectivos recuos de 1,9% e de 3,8%. Representando 73% do total adquirido pelo Brasil em dezembro (22,6 mil toneladas), as negociações de leite em pó diminuíram 3,6% frente a novembro, somando 16 mil toneladas. Quanto às exportações, a redução no volume total embarcado em dezembro (2,8 mil toneladas) esteve atrelada ao recuo de 9,1% nas vendas de creme de leite frente a novembro de 2020, que somaram 685 toneladas no último mês do ano.

Aumento acumulado nos últimos 12 meses atingiu 39,72%, aponta a Embrapa

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER