O país mais populoso do mundo continua sendo um voraz comprador de leite em pó, apesar da pandemia em curso e de uma economia que desacelerou acentuadamente.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O país mais populoso do mundo continua sendo um voraz comprador de leite em pó, apesar da pandemia em curso e de uma economia que desacelerou acentuadamente. Com as compras de abril, a China importou quase tanto leite em pó integral nos primeiros quatro meses deste ano quanto no período de janeiro a abril do ano passado, observa Sarina Sharp, analista do Daily Dairy Report.

Em abril, a China importou 63,68 milhões de quilos de leite em pó integral, um aumento de 21,9% em relação ao ano anterior, de acordo com o Trade Data Monitor. “Em relação ao formidável ritmo de compras que o país estabeleceu em 2019, as importações chinesas de leite em pó integral tiveram um início lento este ano, mas a forte contagem de abril as leva a apenas 0,2% do ano passado, depois de se ajustar ao dia bissexto”, disse Sharp.

O ritmo de compras ocorre apesar da forte queda da atividade econômica. Em janeiro, antes do bloqueio da China, a economia do país deveria crescer 6% em 2020, um pouco abaixo do crescimento de 6,1% de 2019. Segundo o World Economic Outlook de abril do Fundo Monetário Internacional (FMI), a Covid-19 mudou drasticamente as perspectivas. Agora, o FMI espera que a economia da China cresça apenas 1,2%, um declínio de 4,8 pontos percentuais em relação às perspectivas de janeiro.

Enquanto milhões de trabalhadores foram demitidos na China e outros viram cortes nos salários, a demanda reprimida por bens e serviços passará para 2021 à medida que o mercado de trabalho se recuperar. O FMI espera que a economia da China registre um crescimento de 9,2% no próximo ano, um aumento de 3,2 pontos percentuais em relação às perspectivas de janeiro de 2020.

As importações chinesas de leite em pó desnatado em abril caíram 4,1%, para 25 milhões de quilos, em comparação com o ano passado. Mas no ano passado, a China estava em uma momento de grandes compras de leite em pó, adquirindo grandes volumes da Nova Zelândia, bem como estoques de intervenção baratos da Europa. Sharp observa que, enquanto as importações de leite em pó desnatado na China de janeiro a abril diminuíram 14,3% em 2019, elas ainda eram mais altas no mesmo período em todos os anos anteriores.

“Dadas as interrupções no comércio global e os relatórios de mais envio de leite para os secadores na China durante o bloqueio, as importações de leite em pó do país foram mais fortes do que o previsto”, afirma Sharp. “Essas são boas notícias em um mundo com um crescente excedente de leite em pó.”

A China também está importando mais soro de leite, mas essas importações ainda estão bem abaixo dos níveis recordes de 2018. “As fortes importações de soro de leite refletem uma melhoria gradual nos esforços da China para reconstruir seu rebanho suíno e modernizar sua indústria suína”, afirma Sharp. “A mudança para uma indústria mais moderna favorece o consumo de soro de leite, porque muitos criadores de grande escala incluem soro de leite em rações para leitões, enquanto as fazendas menores normalmente não o fazem.”

No entanto, Sharp observa que o rebanho de suínos da China ainda é apenas “uma sombra do que era antes de ser devastado pela peste suína africana” e, assim, provavelmente continuará limitando a demanda de soro de leite no futuro próximo.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER