Com um aporte de recursos de R$ 275,9 milhões, programa surge para dar respostas as reivindicações de quem atua no campo.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Evandro Oliveira/SEAPDR

O Avançar na Agropecuária e no Desenvolvimento Rural, lançado quinta-feira (02) pelo Governo do Paraná, nasceu de demandas que diariamente batem à porta da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR). “Tem dias em que atendemos mais de 15 comitivas de prefeitos, vereadores e secretários municipais, que vêm nos pedir ajuda porque suas comunidades precisam de água para o consumo humano, para os animais e para as plantações”, conta a secretária Silvana Covatti.

Com um aporte de recursos de R$ 275,9 milhões, este Avançar surge para dar respostas a estas reivindicações. A secretária Silvana conta que toda a equipe da SEAPDR passou a ouvir e a anotar cada um dos pleitos feitos pelos produtores rurais, desde o início da atual gestão, em 2019, ainda sob comando do então secretário Covatti Filho. “Fomos sensíveis a estas histórias que foram chegando em pleno período de estiagem e de pandemia, que tanto afetaram o nosso meio rural. Levamos tudo ao conhecimento do governador Eduardo Leite, que também teve esse olhar atencioso, e, agora, o anúncio do Avançar na Agropecuária e no Desenvolvimento Rural reconhece tudo o que os nossos produtores vêm fazendo pelo Estado”, diz Silvana, ao destacar ainda o apoio dos deputados da Assembleia Legislativa para viabilizar o programa.

Atualmente, há cerca de 700 pedidos de poços artesianos represados na SEAPDR. Com a injeção de R$ 67,5 milhões, a secretaria irá contratar, em 2022, a construção de 750 poços, em todos os cantos do Estado, buscando zerar a lista de espera. “Esta é uma conquista da nossa sociedade”, diz a secretária. “Ficamos extremamente satisfeitos em poder atender esta necessidade básica da população gaúcha”, comemora Silvana.

Além de viabilizar a perfuração dos poços, a Secretaria da Agricultura irá investir R$ 22,5 milhões em 750 conjuntos de redes de adução de poços, tubulações, torres metálicas e caixas d’água. Desta forma, providenciará todas as etapas para que a água seja disponibilizada às comunidades, restando às prefeituras a execução da rede de distribuição.

Um dos municípios que foi contemplado, em 2021, com dois poços artesianos, perfurados pelas máquinas da SEAPDR, foi Ubiretama, no Noroeste do Estado. O prefeito Rodrigo Daniel Bloch disse que as estruturas já entraram em operação, atendendo as localidades de Linha Silva Jardim e Linha 23 de Julho e arredores. “Com os dois poços conseguimos resolver um problema grande de deficiência de água para cerca de 200 famílias”, relatou Bloch. Ele parabeniza o governo pelo anúncio de mais recursos em poços, inovando ao oferecer toda a estrutura de bombas, tubulações, torres metálicas e caixas d’água que acabavam ficando onerosas para a prefeitura – até então, a Secretaria da Agricultura se responsabilizava apenas pela perfuração.

Além dos pedidos protocolados diariamente na sede da SEAPDR, a secretária Silvana conta que recebe inúmeras demandas em suas andanças pelo Interior do Estado, muitas delas ligadas à agricultura familiar. “Sempre lembro de um relato de uma agricultora que produz chimias para vender. Ela não tinha R$ 10 mil para comprar um equipamento que ajudaria a tornar menos trabalhosa a preparação da chimia e que a ajudaria a expandir a sua fabricação”, conta Silvana. “Agora, essa mulher empreendedora e tantas outras vão poder acessar um financiamento e investir no seu pequeno negócio”, destaca a titular da Agricultura.

A secretária se refere aos R$ 19 milhões que serão ofertados para contratação de 705 financiamentos para aquisição de máquinas, equipamentos, insumos que poderão ser acessados por agricultores e pecuaristas familiares, camponeses, assentados, pescadores artesanais, aquicultores, quilombolas e indígenas, via Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper). Outros R$ 5 milhões serão alocados em 500 financiamentos, também por meio do Feaper, para beneficiar empreendimentos incluídos no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (PEAF).

Outra demanda muito recorrente dos produtores é a construção de cisternas e açudes. O Avançar na Agropecuária e no Desenvolvimento Rural atenderá ambas, ao viabilizar 1,5 mil cisternas com capacidade de 30 a 50 mil litros e 6 mil microaçudes, os quais poderão ser usados para produção de peixes, irrigação de lavouras, hortas e pastagens e consumo de água pelos animais. Em Osório, o agricultor Vanderlei Agliardi usufrui dos benefícios de um microaçude construído em sua propriedade, na localidade de Sertão, viabilizado com recursos da SEAPDR e com projeto feito pela Emater/RS-Ascar. “Atuamos com produção de hortifrúti em estufas e, se não tivéssemos água para irrigar, não tínhamos como trabalhar”, afirma Agliardi.

O Avançar contemplou ainda outra reivindicação trazida pelos agricultores, gestores públicos e políticos quanto à necessidade de melhorias nos acessos às propriedades. A carência de maquinários nas prefeituras para este tipo de serviço é relatada com frequência. A SEAPDR investirá R$ 39,15 milhões na compra de máquinas e as cederá os municípios para que façam manutenção e recuperação dos acessos, com o objetivo de facilitar o escoamento da produção agropecuária. O agricultor Samuel Sphet conta que uma draga cedida recentemente pela Secretaria da Agricultura ao seu município, Arroio do Tigre, ajudou a alargar uma estrada de acesso às propriedades e permitiu que os produtores fizessem transporte dos equipamentos avícolas e da safra de grãos. “Era sempre um transtorno transitar por aqui e agora temos mais segurança e tranquilidade”, afirma Sphet.

A fraca demanda pressionou o valor, que caiu 0,6% no mês e 5,6% em 12 meses.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER