Os Pequenos produtores de leite do Sudoeste do Paraná continuam acumulando prejuízos com a crise leiteira que persistem desde o início de 2017.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os Pequenos produtores de leite do Sudoeste do Paraná continuam acumulando prejuízos com a crise leiteira que persistem desde o início de 2017. O preço da produção tem operado em queda comprometendo o comércio e a economia nas regiões produtoras.

(Imagem Ilustrativa)

A Deputada Estadual, Luciana Rafagnin, concedeu entrevista à Rádio Onda Sul FM e relatou que os produtores estão praticamente pagando para produzir o leite da região, “os nossos agricultores estão desesperados com a questão do preço baixo, porque na verdade os agricultores vêm pagando para trabalhar. Se colocar na ponta do lápis todo custo da produção, incluindo a mão de obra, ele vai ter prejuízo na venda do leite”.

A Região Sudoeste é a maior bacia leiteira do Paraná, e Luciana destaca que inúmeras as famílias sobrevivem da renda do leite “é importante que o governo do Estado e o governo Federal olhe com carinho para os nossos produtores”.

A medida do governo Federal que facilita a entrada e comércio do leite vindo principalmente da União Europeia, pode gerar grandes problemas aos produtores do estado. “Esse leite pode ser colocado no Brasil no preço bem mais baixo do que o custo que o nosso agricultor tem para poder produzir. E se for disponibilizado com preço super baixo, é claro que a população até pela questão econômica, vai acabar preferindo o leite em pó”.

Segundo a Deputada a questão da Previdência também é um assunto que deve ser debatido para evitar medidas que venham a prejudicar o trabalhador. Sobre o leite, a expectativa é que o governo Federal reveja essa questão, “porque se realmente continuar essa medida, dessa forma, vamos ter um prejuízo muito grande e eu falo até um sofrimento muito grande para os nossos agricultores”, alerta.

 

O preço médio da cesta de derivados lácteos variou negativamente no mês de novembro/2021. Na média ponderada, a retração foi de 7,21%, em relação dos preços observados pela indústria de laticínios no mês anterior. O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (29/11) no Boletim de Mercado do Setor Lácteo Goiano.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER