Parlamentares alertaram que situação na Bacia Leiteira é crítica e algo precisa ser feito urgentemente  
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deputado Paulo Dantas cobrou de Renan Filho uma solução para o atraso nos repasses do pagamento do Programa do Leite em Alagoas

O segundo semestre da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) tem sido marcado pela cobrança de parlamentares da base do governo Renan Filho (MDB). Foi o que fez por exemplo, na sessão desta terça-feira (20), o deputado Paulo Dantas (MDB) ao cobrar o pagamento em dia dos produtores de leite e a reabertura do parque industrial do leite, em Batalha. Por sua vez, o deputado Givan Barros (PSD) cobrou a construção de novos abatedouros, já que, ao longo dos últimos meses, diversas unidades foram fechadas, aumentando o custo do ‘abate’.

Da tribuna da Casa de Tavares Bastos, Paulo Dantas narrou o sofrimento pelo qual os produtores do Programa do Leite estão passando sem o pagamento por parte do governo Renan Filho. “Peço atenção especial ao governador Renan Filho e também do presidente Jair Bolsonaro para olharem com carinho e realizar o pagamento dos produtores e, diante disso, amortecer o impacto desta crise no segmento em nosso estado. Peço, também, atenção para a reabertura da antiga fábrica de beneficiamento da Camila, cujo parque industrial fica em Batalha”, destacou Dantas.

Segundo o parlamentar, aliado ao seu fechamento, outro grave problema que afeta a cadeia, em especial os pequenos produtores, os que produzem com sua família, são os contantes atrasos nos repasses que, segundo ele, acentuaram o sofrimento  econômico. Em aparte, o deputado Gilvan Barros criticou a operação FPI do São Francisco – realizada pelo Ministério Público Estadual -,  e lembrou que, quando a ação teve início há alguns anos, chamou atenção do governador Renan Filho para os prejuízos que os pequenos produtores teriam com as ações que são realizadas.

Além de cobrar uma solução para a crise do leite, o deputado solicitou do Poder Executivo a construção dos matadouros regionalizados, já que essas unidades ajudariam no custo-final na venda da carne em Alagoas. “A crise do leite em Alagoas é muito grave. Algo precisa ser feito. O fechamento dos pequenos matadouros também acentua essa situação. É preciso simplificar o abate do gado. Não podemos deixar essa situação sem uma solução. Cadê os matadouros regionalizados?”, questionou Barros. Essa foi uma promessa de campanha de Renan Filho.

Fecoep

Durante uma aparte, o deputado Francisco Tenório (PMN) chegou a sugerir que o governo pudesse, de fato, fazer uma intervenção mais objetiva na região, pois a CPLA já possui uma estrutura montada para o beneficiamento de 150 a 200 mil litros de leite. “Mas, para entrar em pleno funcionamento, ainda faltam R$ 10 milhões. Por isso, sugiro ao governo que se empreste essa quantia e a cooperativa pagasse o valor com o produto: o leite”, sugeriu Tenório.

Ele lembrou que o dinheiro emprestado poderia sair do Fundo de Combate à Pobreza (Fecoep) que hoje tem 30% do seu total desviado para outras finalidades, a exemplo da construção de hospitais e unidades de pronto-atendimento na área da saúde.

O Papel do Lácteo na Formação e Manutenção da Estrutura Muscular.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER