O DF possui atualmente 1.421 produtores de leite com uma produção diária de 87,4 mil litros, totalizando 34,9 milhões de litros de leite por ano
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O DF possui atualmente 1.421 produtores de leite com uma produção diária de 87,4 mil litros, totalizando 34,9 milhões de litros de leite por ano

Após a apresentação do projeto, houve um importante debate entre os participantes onde cada um colocou sua visão em relação ao programa e à cadeia do leite, além dos prós e contras para o desenvolvimento do setor | Foto: Divulgação Seagri-DF

O DF possui atualmente 1.421 produtores de leite com uma produção diária de 87,4 mil litros, totalizando 34,9 milhões de litros de leite por ano. O Valor Bruto da Produção (VPB) da cadeia leiteira ultrapassa os R $92,2 milhões.

Dada a importância do setor para a economia local, a Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF) fez, nesta terça-feira (20), uma reunião técnica para tratar do desenvolvimento da cadeia leiteira no Distrito Federal.

Durante o encontro, o coordenador de Suporte à Inovação da Embrapa Cerrado, Chang Das Estrelas Wilches, apresentou o Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira do Distrito Federal, que mostra os caminhos e oportunidades que podem ser seguidos, e os gargalos do setor. “O setor leiteiro do DF pode gerar até R$ 500 milhões de acréscimo no PIB do DF”, destacou.

O secretário de Agricultura, Candido Teles, ressaltou que a cadeia leiteira tem grande potencial para crescer. Ele afirmou ainda que o produtor de leite é muito importante e que é necessário resgatar o setor. “Temos um mercado muito forte aqui no DF.  Precisamos dar condições de trabalho para esses produtores. Temos excelentes técnicos na Secretaria e na Emater, pessoas que trabalham, conhecem e se dedicam a buscar soluções”, explicou o secretário.

O chefe-geral da Embrapa Cerrados, o pesquisador Sebastião Pedro da Silva Neto, falou que é necessário o desenvolvimento tecnológico do setor.  Ele explicou que a Embrapa acredita na pecuária leiteira do DF e que um trabalho desenvolvido aqui pode vir a ser vitrine para o resto do país.

“Pode ser algo que vá mudar, ou influenciar muito, a pecuária leiteira no Brasil. Temos uma história de produção de leite, mas ainda muito aquém do nosso potencial. Então é por isso que a Embrapa Cerrado, diante de todas as informações, de todos os dados que manejamos nas nossas pesquisas, achamos que o leite tem todo o espaço para crescer”, afirmou, dizendo ainda que “se mudarmos a tecnologia, seremos um dos maiores players do mundo em leite também”.

Programa de leite do DF

Também participaram do encontro a Emater-DF, Ceasa-DF e Embrapa Cerrados. A diretora-executiva da Emater, Loiselene Trindade, lembrou que a empresa está preparada e capacitada para dar suporte a todos os produtores que queiram se desenvolver no setor e que pode contribuir muito com esse trabalho. A Emater possui 15 escritórios espalhados por todo o DF para dar suporte.

Segundo o secretário-executivo de Agricultura, Luciano Mendes, o programa está sendo finalizado e ainda no mês de agosto, após todos os ajustes, a exemplo de assistência técnica, melhoramento genético, recursos para o crédito rural, industrialização e comercialização e oportunidades para os produtores, será pactuado com os segmentos e organizações dos agricultores para o devido lançamento.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER