Relatório divulgado nesta terça-feira prevê que setor será menos atingido pela crise
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
CASCAVEL/PR - 17-02-2011 - Plantação de milho safrinha no interior de Cascavel. - Foto Jonas Oliveira
 

O PIB do agronegócio brasileiro não deve sofrer grande impacto com a pandemia de coronavírus. A avaliação é de pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq-USP), em relatório divulgado nesta terça-feira (14/4).

Três fatores são apontados como diferenciais do agro para conter os efeitos da crise. O primeiro é o dólar alto, blindando a queda nos preços internacionais diante das turbulências na demanda mundial. O segundo são as boas perspectivas de produção de grãos, café e carnes. O terceiro, a baixa elasticidade-renda de produtos alimentares essenciais.

Por outro lado, o Cepea alerta que agroindústrias dependentes do mercado interno, como de móveis e atividades têxtil, de vestuário e calçadista, devem pressionar o PIB para baixo. Outra preocupação é com as indústrias de laticínios e de biocombustíveis, em especial pelo impacto da fraca demanda durante o período de isolamento.

Mercado de trabalho

Os pesquisadores ainda alertam para os efeitos da pandemia no mercado de trabalho do agro, em especial para horticultura, floricultura, produção de leite e indústria de laticínios, indústrias de móveis e as relacionadas a vestuário (têxtil, vestuário e couro e calçados).

“Em termos setoriais, como visto, as perspectivas de impacto da crise são ruins para muitas atividades agropecuárias e agroindustriais que são grandes geradoras de postos de trabalho”

Cepea, em relatório

Mas o Cepea pondera que “a gravidade da situação vai depender da duração desse momento de restrições mais severas à mobilidade e da efetividade das ações do governo, seja de apoio aos empregados (para garantia de renda e logo demanda) ou às empresas”.

Por fim, o estudo aponta como “essencial, neste momento, a eficácia com que o governo faça chegar à grande massa da população de baixa renda os recursos mínimos para sobrevivência, inclusive para adquirirem os produtos que o agronegócio disponibilizará ao varejo”.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER