A domesticação é um processo que levou milhares de anos. Certas populações animais evoluíram com a população humana de novas formas. Temos animais que são dóceis, que interagem com os humanos e que, por exemplo, não sofrem por estarem confinados, não ficam stressados por isso.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A antropomorfização dos animais é uma confusão em que temos tendência a cair. Temos tendência a procurar características, sentimentos e comportamentos tipicamente humanos neles. Isto não significa que não mereçam respeito ou compaixão, mas leva-nos a acreditar que têm as mesmas necessidades que as pessoas, e este pensamento leva-nos a uma emoção inqualificável e a ignorar quaisquer preocupações que nos permitam duvidar que estamos errados.

A domesticação é um processo que levou milhares de anos. Certas populações animais evoluíram com a população humana de novas formas. Temos animais que são dóceis, que interagem com os seres humanos e que, por exemplo, não sofrem por estarem confinados, não são stressados por isso.

A capacidade adaptativa dos animais domésticos permitiu-lhes acompanhar os seres humanos e co-evolver com eles. Embora não seja o mesmo ter um animal quase solto numa pequena quinta familiar do que centenas em currais, existem hoje normas de bem-estar animal que regulam a actividade pecuária de modo a não entrar em conflito com estes valores. O que pode correr mal são os controlos, mas isso não significa que todos os que criam animais de produção os maltratem.

Uma das coisas que se instalam nas campanhas contra a criação de gado para consumo de leite e carne é que os maiores são os mais impiedosos, e mesmo assim são os menos capazes de escapar a estes regulamentos, porque o seu cumprimento é um requisito ao exportar ou validar os seus produtos para diferentes mercados.

Uma das situações que é frequentemente apresentada como um acto de crueldade é o método de ordenha mecânica, e é falso que as vacas sofram e sejam feridas neste procedimento. É um raciocínio simples.

No entanto, é importante notar que a máquina extrai o leite rápida e suavemente sem danificar as tetas e o tecido mamário, copiando o método de amamentação do bezerro, funciona gerando um vácuo de forma descontínua e cíclica ao nível das tetas, extraindo o leite e alimentando-o num tanque de refrigeração. Os sistemas de ordenha robotizada são a melhor prova de que a vaca não é prejudicada neste processo, uma vez que ela entra voluntariamente no mesmo. As vacas em lactação precisam de ser ordenhadas pelo menos duas vezes por dia e de ser calmas e descontraídas. Qualquer perturbação provoca a libertação de adrenalina, inibindo o reflexo de ejecção de leite.

A criação de gado alimenta o mundo, mas primeiro é um negócio para aqueles que o desenvolvem, e uma manada sofredora e maltratada não é rentável para ninguém: um animal em tais condições não é produtivo. Pensar sempre nisso primeiro, antes de dar lugar à comoção provocada pelas campanhas de terror. Não se deixem manipular. E se ainda tiver dúvidas, pergunte aos que sabem, venha ver.

E acima de tudo, não se esqueça que consumir produtos lácteos é bom para si.

Já bebeu o seu copo de leite hoje?

Dados sobre os principais indicadores para a cadeia produtiva do leite como preços do leite no mercado brasileiro e internacional, relação de troca ao produtor, balança comercial brasileira de leite e derivados.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER