A EMATER/RS divulgou seu relatório conjuntural semanal na última quinta-feira (16/04). Segundo o relatório, o período de vazio forrageiro outonal, que acontece normalmente todos os anos, será mais prolongado, em decorrência das adversidades climáticas registradas em todo o Estado.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A EMATER/RS divulgou seu relatório conjuntural semanal na última quinta-feira (16/04). Segundo o relatório, o período de vazio forrageiro outonal, que acontece normalmente todos os anos, será mais prolongado, em decorrência das adversidades climáticas registradas em todo o Estado. Elas provocaram o encurtamento do ciclo das pastagens de verão e o atraso na implantação e desenvolvimento das pastagens de inverno, ocasionando maior redução na disponibilidade de massa verde e por mais tempo.

A condição corporal e a produção leiteira dos animais mantidos predominantemente a pasto estão afetadas por essa situação, exigindo um maior aporte de suplementação alimentar para amenizar os seus efeitos; mas isto implica em um aumento dos custos.

As estimativas de queda na produção leiteira mais significativas relatadas pelos escritórios regionais da Emater/RS-Ascar nas respectivas áreas de abrangência foram as seguintes: regional de Caxias do Sul – 13%; Erechim – 20%; Frederico Westphalen – 25%; Porto Alegre – 30%; Santa Maria – 33%; Pelotas – 41%; Bagé – 40 a 45%.

Segundo o Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, as estimativas de perdas sofridas pelos criadores da região, no período de 30 de março a 13 de abril, somam aproximadamente seis milhões de litros de leite, equivalente a um valor em torno de 7,2 milhões de reais.

Tendência é que falte matéria-prima com possível desistência da atividade leiteira

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER