A Fetag entende que o método deve dar mais peso ao custo.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Fonte: BBC

Entidades que compõem o Conseleite estão pedindo mudanças no método de cálculo do preço do leite à gestão do conselho, coordenado pelo Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado (Sindilat/RS). A principal queixa refere-se ao valor de referência pago pela indústria ao produtor, que foi projetado em R$ 1,6463 para outubro, ficando 4% abaixo do consolidado de setembro.

Para o presidente da Fetag/RS, Carlos Joel da Silva, o método de cálculo é desfavorável aos produtores, que vêm enfrentando aumento de custos. “O modelo precisa ser modificado para outro que defina o preço a partir do custo e não pelo que é pago pelo consumidor, ou correremos o risco de quebrar a cadeia leiteira”, diz.

O secretário executivo do Sindilat/RS, Darlan Palharini, afirma que o conselho discutirá ajustes em conjunto com os produtores. Pondera, no entanto, que a metodologia usada está em linha com a adotada em outros estados, como Santa Catarina e Paraná, e que os valores atuais refletem a redução do consumo de lácteos. “Na ponta, temos hoje um consumidor com poucos recursos no bolso”, observa. “Mas podemos avançar em algumas questões, como (estabelecimento de) contratos de fornecedores de leite.”

O Papel do Lácteo na Formação e Manutenção da Estrutura Muscular.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER