Está a decorrer na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra (ESAC – IPC) a Escola de Queijeiros, uma ação formativa integrada no Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

“Esta é a 2.ª edição, mas é a primeira vez que é ministrada na Agrária em Coimbra. O objetivo é capacitar empreendedores para o conhecimento das principais técnicas de produção de queijo com DOP na Região do Rabaçal”, como realçou ao Notícias de Coimbra, o presidente da ESAC, João Noronha.


Durante esta manhã, o NDC visitou as instalações, onde presenciou a produção de queijo fresco de cabra e teve oportunidade de falar com o formador David Gomes e vários formandos. Esta ação conta com 8 elementos, com idades entre os 21 e os 72 anos, de várias zonas do país.

Objetivo é “aumentar o número de empreendedores para que se possa ter mais queijarias e de preferência que estejam dentro da fileira, desde a produção de leite à produção de queijo”, realçou David Gomes.

Bruno Moreira trabalha numa empresa transformadora de leite no norte do país e abraçou este desafio para alargar os seus “conhecimentos e para ajudar o setor de laticínios”.

Alexandra Nogueira é da Póvoa de Varzim e foi a curiosidade que a levou a inscrever-se neste curso, do qual teve conhecimento através da internet. O sabor do Queijo Rabaçal, também entrou na lista de preferências desta formanda.

João Sá é produtor de leite de ovelha e cabra e vende para queijarias que produzem o Queijo Rabaçal. Queixa-se de que “o valor atribuído por litro não paga os custos, daí sentir a necessidade de vir aprender” outro ofício, neste curso, e “talvez um dia ter uma queijaria”. Ao NDC, disse que está a frequentar a Escola de Queijeiros porque as “necessidades assim obrigaram”.

A edição da “Escola de Queijeiros” decorre nos politécnicos de Coimbra, Castelo Branco e de Viseu, dando a conhecer as principais técnicas de produção de queijo com DOP – Denominação de Origem Protegida nas regiões do Rabaçal, Serra da Estrela e Beira Baixa.

O curso conta com 80 horas de formação, em período laboral, e termina em outubro. A componente teórica contempla conteúdos como introdução à produção de queijo, boas práticas de higiene e fabrico ou segurança alimentar, enquanto a parte prática decorre em queijaria.

O Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro é financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e destina-se a apoiar os agentes do setor na resolução dos principais estrangulamentos da cadeia de valor dos queijos tradicionais, desde o produtor de leite até ao consumidor.

Desde 2017, a DVP tem direcionado seus esforços na investigação e análise do funcionamento do Ecossistema Empresarial Israelense.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER