#Evento debate estratégias para o setor leiteiro baiano – eDairyNews Últimas notícias
Sin categoría |20 septiembre, 2013

Indústria | #Evento debate estratégias para o setor leiteiro baiano

Com a seca, a produção de leite do estado foi reduzida para 425 milhões de litros/ano Avaliar o passado, incluindo…

Com a seca, a produção de leite do estado foi reduzida para 425 milhões de litros/ano

Avaliar o passado, incluindo os prejuí­zos de mais de dois anos de seca, e traçar estratégias para o desenvolvimento da indústria são objetivos principais do IV Encontro das Indústrias Baianas do Setor de Leite e Derivados, que acontece  nesta sexta-feira, 20, e sábado, 21, no Catussaba Resort, em Salvador.

Realizado pelo Sindicato das Indústrias de Laticí­nios e Produtos Derivados do Leite da Bahia (Sindileite-BA), o evento reúne empresários, órgãos públicos e também instituições de pesquisa e agronegócio. A expectativa de público é de 400 pessoas.

Para o presidente do Sindileite, Paulo Cintra,  essa é uma oportunidade de realizar a promoção de capacitação, divulgação de informações e integração do setor.

«Vamos ter palestras de pessoas que tíªm expertise em leite e laticí­nios. Mas o encontro não vai falar só de produção, mas de mercado futuro, inovação e tecnologia», afirma  Cintra.

Queda drástica

O ano passado foi duro para o setor, que teve 12 laticí­nios fechados devido í  seca, com a perda de  450 empregos diretos. Esse número é o oficial. «Se formos contar, também, com os laticí­nios clandestinos, vamos ter uma situação de horror», diz Paulo Cintra.

Os produtores do estado, que antes da seca atendiam a 70% da demanda do mercado consumidor interno -  o equivalente a 850 milhões de litros de leite por ano -, tiveram essa capacidade reduzida pela metade.

De acordo com o sindicato, num cenário favorável, a pecuária leiteira do estado deve demorar entre dois e tríªs anos para recuperar-se. Esse é o tempo de repor as matrizes (em um rebanho de leite, elas são as produtoras de bezerros e de leite).

O presidente do Sindileite explica que, com a seca, a produção leiteira diminuiu  e os produtores pararam de investir em novas matrizes.

Apesar de sua extensão territorial, a Bahia nunca teve uma produtividade que garantisse a autossuficiíªncia. O extremo sul e parte do sudeste do estado, em municí­pios como Itapetinga e Itabuna, há uma maior concentração dessa produção.

«Temos um excelente mercado consumidor, mas que a gente não atende», afirma Paulo Cintra. «Veja o exemplo de Minas Gerais, que possui regiões que são grandes produtoras de leite. Lá, mesmo quando os preços do mercado são desanimadores, o produtor tem estí­mulo para investir  porque não há seca. Aqui enfrentamos problemas climáticos», diz.

Ciente da necessidade de dar suporte aos produtores de leite do estado, o Sindileite vai correalizar em novembro que vem a primeira edição Simpósio Internacional sobre Produção Competitiva de Leite Nordeste (Interleite).
http://atarde.uol.com.br/economia/materias/1534831-evento-debate-estrategias-para-o-setor-leiteiro-baiano

Aviso legal sobre propriedade intelectual em conteúdo digital

Todas as informações contidas nestas páginas que NÃO são de propriedade da eDairy News e NÃO são consideradas "de domínio público" pelos regulamentos legais são marcas registradas de seus respectivos proprietários e reconhecidas por nossa empresa como tal. A publicação no site eDairy News é feita com a finalidade de coletar informações, respeitando as normas contidas na Convenção de Berna para a Proteção das Obras Literárias e Artísticas; na Lei 11.723 e demais normas aplicáveis.

Qualquer reivindicação decorrente das informações contidas no site eDairyNews será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, com sede na cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outra jurisdição, incluindo a Federal.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Notas relacionadas