Focaremos a nossa atuação nas categorias de laticínios, produtos à base vegetal e nutrição especializada, o que permitirá alocar mais recursos em inovação contínua para atender às demandas de nossos consumidores.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Danone
Fabricante anunciou fim da marca Bonafont em setembro. Confira o que está por trás da decisão

Em setembro deste ano, a Danone informou que encerraria a produção da marca Bonafont no Brasil. Com a saída, o mercado brasileiro deixa de ter uma marca da Danone voltada ao envase de água mineral. Desde que avisou o público consumidor da decisão, os produtos deixaram de ser fabricados e, à medida em que os estoques foram se esgotando, não foram mais repostos. Por isso, recomendou a empresa, o consumidor deve verificar a data de fabricação indicada nas embalagens para ter certeza de que está consumindo a água original.

Em nota, a companhia afirmou que a decisão faz parte da estratégia global da Danone que decidiu focar o negócio local nas categorias maiores. O plano, segundo a empresa, é o de focar em segmentos mais rentáveis no mercado brasileiro. “A decisão por descontinuar a categoria de águas no Brasil não afeta outros mercados em que Bonafont está presente e nem a categoria de águas da Danone no mundo”.

A Danone informou ainda que a marca Bonafont tem participação minoritária no portfólio da Danone Brasil e é comercializada, principalmente, no estado de São Paulo. “Focaremos a nossa atuação nas categorias de laticínios, produtos à base vegetal e nutrição especializada, o que permitirá alocar mais recursos em inovação contínua para atender às demandas de nossos consumidores”, complementou.

Por fim, a empresa afirmou que trabalharia para minimizar o impacto junto aos colaboradores, alocando-os em outras áreas “e garantindo condições adequadas de desligamento, incluindo pacote especial acima das exigências legais, programa de requalificação para equipe operacional e serviço de recolocação profissional especializado.”

Em 2020, a empresa já havia fechado duas fábricas da Bonafont em São Paulo e no Rio de Janeiro, rompendo contrato com pelo menos 211 funcionários. Em 2022, com o fim total da operação, a fábrica de Jacutinga (MG) foi oficialmente fechada.

Mercado dominado

A decisão é similar a tomada pela suíça Nestlé. Em 2018, a empresa vendeu negócio de águas para o brasileiro Grupo Edson Queiroz, hoje dono das marcas Minalba e Indaiá. Agora, sem as duas grandes multinacionais no páreo, a produção de águas no Brasil passa a ser representada por um único grande competidor estrangeiro: a americana Coca-Cola, fabricante da marca Crystal.

Ano de 2021 terminou com dificuldades para os laticínios, mas cenário piorou durante 2º semestre de 2022.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER