Segundo um relatório elaborado pelos técnicos do Instituto Nacional do Leite do Uruguai, as vendas mais altas foram em leite em pó integral e desnatado, queijo e manteiga.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
exportacoes
O relatório INALE do Uruguai revelou que nos últimos 12 meses, 29% das exportações de lácteos foram para a Argélia, 20% para a China, 15% para o Brasil, 6% para a Rússia, 4% para o México e o restante (26%) para outros mercados.

O faturamento gerado pelas exportações uruguaias de produtos lácteos melhorou 29% nos primeiros cinco meses de 2022, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Um relatório elaborado por técnicos do Instituto Nacional do Leite (Inale) revelou um faturamento mais alto nas quatro categorias: leite em pó integral e desnatado, queijo e manteiga.

Considerando todos os quatro itens juntos, em janeiro-maio de 2022, as exportações totalizaram US$ 342,9 milhões, com base nos dados da Direção Nacional de Alfândega (DNA).

Se a leitura for feita sobre o volume colocado, naqueles cinco meses chegaram a 79.474 toneladas (considerando todos os itens) e foi apreciada, em comparação com o mesmo período de 2021, uma queda de 9% nas remessas de leite em pó integral, um aumento de 174% no leite em pó desnatado, uma queda de 3% no caso do queijo e houve um aumento de 59% na manteiga.

O produto estrela

O leite em pó integral continua sendo de longe o produto mais exportado: 49.285 toneladas até agora este ano, 62% do total embarcado, gerando receita de US$ 191,1 milhões, 55,7% do total obtido.

As receitas obtidas para o leite em pó integral cresceram 10%, as do leite em pó integral aumentaram 235% no leite em pó desnatado, aumentaram 6% no queijo e aumentaram 117% na manteiga, sempre com base na comparação dos primeiros cinco meses de 2022 e 2021.

Em relação aos preços médios alcançados, com base na comparação do acumulado de 2022 a maio e o mesmo período em 2021, houve uma melhora de 20% no leite em pó integral, 22% no leite em pó desnatado, 9% no queijo e 36% na manteiga.

Finalmente, considerando o mais recente, ou seja, exclusivamente o que aconteceu com o negócio correspondente a maio deste ano, os preços médios foram: US$ 4.208 por tonelada de leite em pó integral; US$ 3.794 por tonelada de leite em pó desnatado; US$ 4.493 por tonelada de queijo; e US$ 5.722 por tonelada de manteiga.

Os destinos

O relatório INALE também revelou que nos últimos 12 meses (ano de mudança) 29% das exportações de laticínios foram para a Argélia, 20% para a China, 15% para o Brasil, 6% para a Rússia, 4% para o México e o restante (26%) para outros mercados.

A Argélia foi o principal destino para o leite em pó integral (38% do total de remessas) e leite em pó desnatado (52%); o México para o queijo (24%); e a Rússia para a manteiga (43%).

É praticamente impossível tirar certos aperitivos do gosto do brasileiro. Sabendo disso, uma pesquisa decidiu apurar um dos nossos xodós do cardápio nacional e elegeu o melhor requeijão que hoje é vendido no Brasil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER