"Nossa paciência com a Enel esgotou-se", disse à coluna o presidente da Faec, Amílcar Silveira. A Enel distribui energia elétrica, com exclusividade, em todo o Ceará.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

“Nossa paciência com a Enel esgotou-se”, disse à coluna o presidente da Faec, Amílcar Silveira. A Enel distribui energia elétrica, com exclusividade, em todo o Ceará.

Amanhã, segunda-feira, 28, a Federação da Agricultura do Ceará (Faec) entrará na Justiça com uma ação de indenização  contra a Enel Distribuição, acusada pela entidade de responsável por elevados prejuízos materiais e financeiros enfrentados por fazendas de produção de leite bovino em várias regiões do estado.

“Nossa paciência com a Enel esgotou-se”, disse à coluna neste domingo, 27, o presidente da Faec, Amílcar Silveira, que já recebeu a informação de que outras dezenas de pecuaristas tomarão a mesma providência, judicializando suas relações com a Enel, que distribui, com exclusividade, energia elétrica na geografia do Ceará..

Ontem, na Fazenda Manoel João, em Abaiara, uma importante granja leiteira do município, o rebanho completou três dias sem ordenha porque, por falta de energia – o que se deu às 9h30min do dia 26 – estão sem funcionar os equipamentos da ordenha mecânica nem os tanques de resfriamento, inviabilizando o armazenamento da produção leiteira.

“O gado da nossa fazenda é acostumado à ordenha mecânica e não permite a ordenha manual”, explica – em vídeo exibido nas redes sociais – um dos funcionários da fazenda, cujo proprietário é o agropecuarista José Moreira de Albuquerque Júnior.

A mesma funcionária revelou que, desde ontem até as 11 horas de hoje, 27, fez 11 ligações telefônicas para o escritório da Enel em Abaiara, pedindo socorro técnico, mas sem sucesso.

“A falta de ordenha gera mastite bovina e compromete a saúde do animal”, afirma, revoltada, a funcionária da fazenda Manoel João em mensagem postada em uma rede social.

Por sua vez, o presidente da Faec, Amílcar Silveira, adverte:

“Nosso jogo manso com a Enel acabou. Vamos partir agora para jogo duro pela via judicial”.

Para isso, a entidade jácontratou um dos melhores escritórios de advocacia do Ceará.

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER