A Fazenda Boa Fé é a campeã no prêmio AS MELHORES DA DINHEIRO RURAL, na categoria Fazenda Sustentável. O proprietário Jonadan Má foi quem recebeu o troféu
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Dedicada à agricultura e ao gado leiteiro, a Agropecuária Boa Fé, em Conquista (MG), conta com 1,7 mil hectares. A propriedade cria gado leiteiro da raça girolando, referência na exportação de embriões. Atualmente, comercializa para seis países das Américas Central e Sul. Na produção de leite são dez mil litros diários, com 380 vacas em lactação.
Realizado desde 2013 pela Editora Três, o prêmio AS MELHORES DA DINHEIRO RURAL destaca as empresas ligadas, direta ou indiretamente, ao campo que aplicam em seus negócios as melhores práticas em gestão financeira e corporativa.
A escolha das melhores empresas, cooperativas e produtores rurais é uma parceria da revista Dinheiro Rural com o Conselho Científico para a Agricultura Sustentável, Instituto Universal de Marketing em Agribusiness e o Instituto de Métricas Agropecuárias Inttegra. O prêmio é dividido em dois eixos, contemplando As Melhores Empresas do Agronegócio e Os Destaques da Pecuária.
A seleção é feita através da participação dessas empresas através do preenchimento de um questionário. Além dos campeões em suas categorias, a homenagem também se estende ao ranking das 300 Maiores Empresas do agronegócio, baseado unicamente nos seus resultados financeiros auditados.
O evento contou com a presença do ex-ministro da Agricultura, o agrônomo Roberto Rodrigues, coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas e Embaixador Especial da FAO para o Cooperativismo. “Celebrar o agronegócio é sempre preciso”, disse Rodrigues. “É um dos trabalhos mais importantes do planeta.”

Sobre Jônadan Min Ma

Formação: Engenheiro Agrônomo pela ESALQ/USP da turma de 1981. MBA em Gestão Empresarial pela FGV.
Cargo atual: Diretor Executivo do Grupo Ma Shou Tao. Sócio-Diretor da Agropecuária Boa Fé Ltda e fundador do Instituto Boa-fé De Apoio Ao Combate Ao Cancer.
Maior realização Profissional: participar e completar toda cadeia produtiva da soja, principal produto do Grupo Ma Shou Tao, da pesquisa e melhoramento genético até a mesa do consumidor.
Maior realização Pessoal: ter uma família maravilhosa que compartilha dos mesmos princípios e ideais em todos os momentos e em todos os seus aspectos.
O que espera realizar: Importantes contribuições para os profissionais do agronegócio, compartilhando informações, tecnologias e conhecimento, que promovam o contínuo desenvolvimento de nossa atividade de forma que toda a sociedade possa desfrutar, contribuindo para que o Brasil seja um país sem desigualdades sociais.
Livro que recomenda: Sem dúvida alguma o Livro da Vida, a Bíblia, para todos os momentos, pessoas e necessidades.
Empresa que admira: Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, que mesmo com as dificuldades conjunturais, tem em seu quadro dirigentes e pesquisadores que persistem e lutam pela continuidade da pesquisa que tanto contribuiu e continua contribuindo para o nosso desenvolvimento como empresários rurais e brasileiros.
Personalidade que admira: Meu pai, o Sr. Ma Shou Tao, um chinês que migrou para o Brasil com 38 anos, pela fé em Deus, há quase meio século e com essa fé entrou na atividade agropecuária, sendo um exemplo de empreendedor, caráter, trabalho, determinação e honestidade, para todos que o conhecem.
Dica de sucesso: Trabalhar com humildade, entusiasmo, amor, honestidade e muita fé em Deus. É o que digo para mim mesmo e para todos os meus colaboradores.
Alguma frase ou ditado preferido? “Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para as nuvens, nunca segará”, Eclesiastes 11:4.
Personalidade de destaque no setor: Professor Wilson Mattos, da ESALQ, um dos maiores especialistas da pecuária leiteira e grande motivador que nos abriu a visão na produção leiteira como profissionais.
O que está melhorando no setor: A conscientização de que a atividade agropecuária depende da ação de cada produtor e a somatória deles.
O que falta no setor: Uma “política agrícola governamental” de médio prazo (pelo menos 4 e 5 anos) para que o empresário rural possa realmente vislumbrar um pouco mais à frente e assim acreditar que está na atividade certa.
Visão de futuro: “Esperamos sempre pelo melhor, mas sempre estando preparado para o pior” (provérbio chinês).

Em disputa, estará o título de “campeão dos campões”, que vai valer duas motos e o valor de R$ 10 mil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER