A preocupação com a saúde pública não é exercida somente dentro das unidades de saúde. O município também atua na fiscalização e manipulação de produtos alimentícios para evitar contaminações e surtos de doenças em Porto Velho.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Serviço de inspeção é executado pela Semagric

A preocupação com a saúde pública não é exercida somente dentro das unidades de saúde. O município também atua na fiscalização e manipulação de produtos alimentícios para evitar contaminações e surtos de doenças em Porto Velho.

Os trabalhos são executados pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal e Vegetal (Dipoav), braço da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric). Na prática, o departamento tem como prioridade assegurar que o consumidor adquira e consuma produtos dentro das normas higiênico-sanitárias.

O objetivo é controlar e prevenir eventuais doenças transmitidas por alimentos de origem animal e vegetal. A preocupação decorre dos temíveis impactos na saúde dos consumidores e perdas socioeconômicas, conforme explica Silvana Castro, diretora do serviço de inspeção da Semagric.

“Tanto o empresário quanto o consumidor, precisam entender que os produtos sem nenhum tipo de controle de inspeção podem ser um grande perigo para a comunidade, devido ao risco de zoonoses e surtos de toxinfecções alimentares que surgem em alimentos produzidos sem o devido cuidado”, explica.

Nos locais inspecionados, as equipes avaliam a prevenção de perigos e pontos críticos de controle a fim de evitar os riscos de contaminação e deterioração durante todas as etapas de produção, processamento e distribuição dos alimentos. Todas as etapas precisam estar dentro das normas e leis vigentes.

Nesta sexta-feira (15), a pasta, junto a 11 estudantes do curso de medicina veterinária, visitou uma unidade de beneficiamento de carnes e produtos cárneos e laticínios da capital. A empresa é uma entre as 14 do ramo fiscalizada pelo município. No local, cerca de 2,5 toneladas de produtos frios são fatiados e embalados por mês.

“Basicamente nosso trabalho aqui é fiscalizar o cumprimento de barreiras sanitárias, uso dos EPI’s, controle adequado de temperatura entre outras áreas relacionadas à sanidade do produto”, explica Silvana.

Os empreendimentos que seguem as regras sanitárias e que estão em dia com a Prefeitura recebem o selo de Serviço de Inspeção Municipal-SIM/SEMAGRIC, que pode ser conferido pelo próprio consumidor nas prateleiras dos estabelecimentos comerciais.

Segundo o secretário da Semagric, Vinícius Miguel, o trabalho desenvolvido pela Prefeitura reflete diretamente na saúde dos moradores e na própria economia do município.

“Nosso SIM tem como prioridade assegurar ao consumidor que os produtos de origem animal sejam produzidos e processados dentro das normas higiênico-sanitárias. E as empresas fiscalizadas entendem que a Prefeitura está aqui para somar e zelar pela saúde pública e pela continuidade da economia como um todo”, explica

Com um aporte de recursos de R$ 275,9 milhões, programa surge para dar respostas as reivindicações de quem atua no campo.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER