Os produtores de leite da Fonterra já estão entre os mais sustentáveis do mundo e adotaram uma medida adicional para sua "caixa de ferramentas" de sustentabilidade.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Fonterra: produtores dão passos cada vez maiores em direção à sustentabilidade

Os produtores de leite da Fonterra já estão entre os mais sustentáveis do mundo e adotaram uma medida adicional para sua “caixa de ferramentas” de sustentabilidade.

Nos últimos dias, os produtores da Fonterra têm recebido seus perfis de emissão de gases de efeito estufa (GEE) de suas fazendas – a primeira vez que tal ferramenta foi introduzida em escala na Nova Zelândia. Os perfis fazem parte do Farm Environmental Report – que combina um Relatório de GEE e um Scorecard de Risco de Nitrogênio.

A diretora da Fonterra, On-Farm Excellence, Charlotte Rutherford, disse que os relatórios são elaborados para fornecer informações úteis para os produtores, a fim de ajudar a identificar oportunidades de melhorias na fazenda. Isso se dá fornecendo indicadores como o nível estimado de emissões de metano biológico e óxido nitroso por hectare e a quantidade de emissões por quilo de sólidos do leite.

“Uma das etapas mais importantes para melhorar seu perfil de emissões é entender de onde vêm suas emissões e é isso que este relatório faz. Além de ser um passo muito prático para ajudar a Nova Zelândia a cumprir os compromissos com as mudanças climáticas, o Relatório Ambiental apoia nossa estratégia de atender à crescente demanda global por alimentos que são benéficos para o planeta.”

“O leite da Nova Zelândia já está entre os produzidos de forma mais sustentável no mundo, mas, com o aumento da preocupação dos processadores e dos consumidores em relação às mudanças climáticas, precisamos garantir que continuamos nos posicionando para o futuro – tanto do ponto de vista regulatório quanto do mercado.”

“Hoje, 81% dos consumidores acreditam fortemente que as empresas devem ajudar a melhorar o meio ambiente. Nossos clientes estão respondendo a isso definindo algumas metas ousadas para reduzir seu perfil de emissões nos próximos anos e há uma oportunidade para os produtores os apoiarem. Por exemplo, a Nestlé tem uma meta de emissões líquidas zero até 2050 e a Starbucks visa reduzir as emissões de carbono em 50% até 2030”, disse Rutherford.

Assim que os relatórios estiverem nas mãos dos produtores, o foco se voltará para a implementação de soluções práticas e sensatas para ajudar a reduzir as emissões.

O produtor de South Wairarapa, Aidan Bichan, é um dos cerca de 100 produtores que participaram do piloto original em 2018. Aidan administra uma fazenda com 900 vacas perto de Featherston e disse que conhecer o perfil de emissões de sua fazenda levou sua equipe a fazer algumas mudanças práticas, incluindo reduzir a quantidade pela metade de fertilizante de nitrogênio aplicado na fazenda.

“Isso realmente não afetou a produção porque estamos conseguindo um uso mais eficiente desse nitrogênio. Mudamos o tempo e a taxa de aplicação, e somos muito mais cuidadosos sobre como o usamos.”

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER