Na manhã desta quarta-feira (16) uma forte chuva atingiu cidades do Noroeste do Rio Grande do Sul, deixando sinais de destruição em alguns municípios da região.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Na manhã desta quarta-feira (16) uma forte chuva atingiu cidades do Noroeste do Rio Grande do Sul, deixando sinais de destruição em alguns municípios da região. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) as cidades mais atingidas foram Caibaté, Entre-Ijuís, Ijuí e Santo Ângelo. Os ventos chegaram próximo a 100km/h, além do registro de chuvas de granizo na região. A previsão indica ainda a permanência das condições de chuva para a região. 

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Rural de Ijuí, Valdir Zardin, a equipe da Secretaria ainda está percorrendo as áreas rurais do Município para verificar os estragos. “A gente só conseguiu checar, por enquanto, as propriedades que margeiam as estradas, ainda não conseguimos ir mais para o interior. Os prejuízos ainda estão sendo contabilizados”, disse.

 

O secretário afirma ainda que a região sul de Ijuí foi a mais atingida, principalmente as áreas do Arroio das Antas, Rincão Fabrim e parte do Alto da União, locais onde Zardim relata lavouras de aveia e trigo acamadas, árvores caídas, galpões e estábulos de gado de leite destelhados. “Na parte do Município que foi prejudicada pela tempestade há muitos hortigranjeiros, e preocupa, já que em alguns pontos houve queda de granizo”, afirmou Zardin.

 

“Os estragos ficaram mais na área urbana e próxima ao Rio Ijuí. A minha propriedade é próxima à cidade, uns 9 km, e eu fiquei preocupado com possíveis danos ao trigo, mas fui até lá e não teve nenhuma ocorrência. Até o momento não temos relatos de prejuízos nas lavouras do município”, comenta Claudio Duarte, ex-presidente do Sindicato Rural de Santo Ângelo e Diretor da Farsul.

Já Ércio Luiz Eickhoff, presidente do Sindicato Rural de Ijuí, comenta que houve uma chuva intensa com ventos muito fortes e granizo por volta das 10 horas desta quarta-feira (16). “Pegou uma parte mais ao sul do município de Ijuí e depois avançou para o lado de Santo Ângelo e da fronteira. Com certeza houve impactos em lavouras de trigo, mas ainda não conseguimos mensurar isso. Os produtores vão ter que fazer uma avaliação nas lavouras e até o final de semana deveremos ter um panorama melhor dessas perdas”, afirma.

 

No município de Caibaté-RS, conforme informações divulgados pela Defesa Civil do município, o vento forte que atingiu a cidade causou prejuízos, deixando várias residências destalhadas e muitas árvores caídas. Em nota, a Defesa Civil explica que “na linha Caaró, comunidade que fica a 3km da cidade, ao lado da ERS 536, houve maior registro de casas destelhadas. Uma pessoa foi atingida com o desabamento de um galpão, sendo socorrida”.

Notícias Agrícolas entrou em contato com a Prefeitura da cidade para levantar informações sobre as áreas rurais atingidas, mas segundo a assessoria de imprensa do Município, os responsáveis pela área de Agricultura
ainda estão contabilizando os estragos.

Já em Santo Ângelo, segundo chefe da Defesa Civil do Município, Adelar Cavalheiro, a tempestade começou por volta das 10h, com vento e chuva, mas sem registro de chuvas de granizo. “Ainda estamos percorrendo as áreas atingidas da cidade para ter mais dados, mas já temos informações sobre árvores quebradas e danos em telhados na área urbana”, afirma.

Mais chuvas 

As previsões do Inmet indicam mais chuva para o Rio Grande do Sul nas próximas 24 horas. De acordo com o modelo Cosmo, os volumes devem ficar entre 20 e 40 milímetros de precipitação. As previsões indicam ainda a permanência das chuvas para áreas atingidas pelo temporal nesta quarta-feira (16).

O Inmet emitiu ainda um alerta laranja para tempestades válido para todo o Rio Grande do Sul e também áreas de Santa Catarina. “Chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (60-100 km/h), e queda de granizo. Risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos”, informa o Instituto.

Veja o mapa de previsão de precipitação para as próximas 93 horas em todo o Brasil: 

93 horas - Inmet 1609
Fonte: Inmet 

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER