Em sua oitava edição, o grupo reuniu mais de 200 mil informações, que foram debatidas em dois encontros
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Em sua oitava edição, o grupo reuniu mais de 200 mil informações, que foram debatidas em dois encontros

Publicado em

em

Em 25 e 26 de maio, a Zoetis promoveu um encontro on-line que reuniu técnicos, especialistas,  pesquisadores e produtores, com o objetivo de divulgar os últimos dados do GERAR Leite. Foram 203.400 mil dados coletados em 2020 sobre IATF (inseminação artificial em tempo fixo) e TETF (transferência de embriões em tempo fixo), em 400 fazendas de todo o Brasil. No último ano, houve melhoria nos resultados de prenhez, em torno de 10%.

“Mesmo distantes fisicamente, estamos aqui no estúdio, trazendo informação da melhor forma possível para todos vocês pois o leite não para”, disse o médico-veterinário e Gerente de Produto da Zoetis Rafael Moreira, que abriu o primeiro dia do encontro, ressaltando a importância desse setor para o desenvolvimento do País. “É isso mesmo. Este é o nosso objetivo hoje e amanhã: levar para os técnicos cada vez mais dados e informações de qualidade, promovendo uma rica discussão”, complementou o médico-veterinário José Luiz Moraes Vasconcelos, professor da UNESP/Botucatu (SP) e mentor do grupo.

Com técnicos nas principais bacias leiteiras do Brasil, o grupo vem se fortalecendo ao longo dos anos como uma importante ferramenta para análise de dados e tomada de decisões, e de relacionamento com os técnicos e produtores.

Além da discussão dos dados analisados, as reuniões servem para que técnicos e pesquisadores identifiquem oportunidades para os produtores, recomendem caminhos e/ou melhorias nas fazendas e discutam fatores relacionados à produtividade das vacas.

Na edição deste ano, foram debatidos temas como doenças inflamatórias pós-parto e fertilidade, impacto da genética para saúde e fertilidade, mastite contagiosa e fatores associados à expressão do estro, além de como o trabalho do GERAR se refletiu no dia a dia da fazenda.

Mostrando a evolução dos números para IATF e IA (inseminação artificial), o professor apontou que houve melhora em ambas as técnicas. “Em praticamente 5 anos, melhoramos 4 a 5 pontos percentuais na IA e na IATF, que representaram cerca de 10% a 15% nos níveis de fertilidade dos parceiros GERAR. Estamos no caminho certo e melhorando a produção de leite nas fazendas’’, disse José Luiz Moraes Vasconcelos. Quando os animais são analisados por categoria, os dados apontam que a evolução em vacas multíparas não aconteceu na mesma proporção das primíparas.

De acordo com o especialista Dr. José Eduardo Portela Santos, da Universidade da Flórida, isso pode estar relacionado a processos inflamatórios sofridos por animais logo após o parto. “É nesse período que há mudança drástica de aporte nutricional da vaca para suprir a necessidade da glândula mamária; é quando também há perda de peso”, explica. “Geralmente, problemas como metrite, endometrite clínica e subclínica surgem duas semanas após o parto. Já a mastite pode acontecer durante todo o período de lactação”, completa.

Segundo Portela, animais com doenças inflamatórias têm menor fertilização e perdem em qualidade embrionária. “A longo prazo, isso impactará todo o sistema reprodutivo e produtivo da fazenda.” O especialista também explanou sobre o controle de mastite contagiosa, abordando transmissão, controle e prevenção, além de medidas sanitárias que o criador deve seguir para ter um rebanho saudável e leite de qualidade. Portela também alertou que “o processo produtivo de leite com a finalidade de conhecer os agentes causadores de mastite ainda é subutilizado no Brasil e isso tem de mudar. Manejo ruim se sobressai a todo programa de controle, o produtor precisa comprar essa ideia e implementá-la”.

Já o professor Ronaldo Cerri, da Universidade de Columbia, no Canadá, outro especialista convidado para essa edição, falou sobre seleção genômica, saúde e reprodução. “Saúde e reprodução têm baixa herdabilidade, mas a seleção genômica é uma ferramenta importante e que se aprimora constantemente”, comentou. Apesar da herdabilidade baixa, avanços significativos têm sido observados na melhoria de parâmetros reprodutivos. Cerri também citou a importância de as vacas apresentarem estro aos protocolos e o impacto da expressão do estro no aumento da prenhez e na diminuição das perdas de gestação.

GERAR LEITE

Criado pela Zoetis em 2014, é um programa de relacionamento contínuo que promove reuniões para discutir dados reprodutivos de rebanhos leiteiros. Desde o início, tem se apresentado como uma importante possibilidade de integração e troca de conhecimentos entre os técnicos integrantes do grupo e formadores de opinião desse setor.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER