Já teve início, no último mês de outubro, a edição 2020 do Programa de Melhoramento Genético por Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), realizado pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri).
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
 

Já teve início, no último mês de outubro, a edição 2020 do Programa de Melhoramento Genético por Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), realizado pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri). Até dezembro, o programa segue atendendo produtores de sete municípios, em seu terceiro ano consecutivo de realização. Diferente das edições anteriores, este ano suas ações estão sendo viabilizadas com recursos de emenda parlamentar e estendidas para além dos municípios do Alto Sertão sergipano, chegando também ao Centro Sul e Baixo São Francisco.

O programa disponibiliza, para o pequeno criador, a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF). Trata-se de uma biotecnologia que visa à elevação da eficiência reprodutiva dos rebanhos, por meio da indução e sincronização da ovulação das fêmeas, através de protocolos hormonais. “Cada animal recebe, no mínimo, três visitas técnicas para viabilizar o protocolo reprodutivo, que requer diagnóstico das condições reprodutivas através de toque retal ou exame de ultrassonografia, aplicação de hormônio e vacinas, implantação de dispositivo intravaginal bovino e, por fim, a inseminação com sêmen de animais de alta linhagem das raças Holandesa, Girolando ou Gir Leiteiro”, detalha o médico veterinário, Celio da Cruz Fontes.

O secretário de Estado da Agricultura, André Luiz Bomfim, explica o que muda, em relação aos anos anteriores. “Nos últimos dois anos, o programa de IATF foi executado com muito sucesso em parceria com o Banco do Estado de Sergipe (Banese), e execução técnica da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro), atingindo a inseminação de 1.690 vacas de pequenos produtores de leite na região do Alto Sertão. Para a etapa 2020 do programa, que se inicia agora em novembro, temos dois diferenciais: estamos viabilizando a ação com investimento de R$ 80 mil de emenda parlamentar do deputado João Daniel e ampliando o alcance; levando essa tecnologia a produtores de outros municípios – para além da bacia leiteira do Alto Sertão -, que vêm demostrando potencial para a produção de leite no Centro Sul e Baixo São Francisco”, explica André Bomfim.

O plano de trabalho do Programa de Melhoramento Genético 2020, realizado pela Seagri, prevê a inseminação de 450 animais de agricultores familiares, principalmente nas áreas de assentamentos de reforma agrária, nos seguintes municípios do: Alto Sertão – Poço Redondo (70 produtores), Porto da Folha (70) e Canindé de São Francisco (70); do Centro Sul Sergipano – Riachão do Dantas (60) e Lagarto (60); e do Baixo São Francisco –  Propriá (60) e Neópolis (60).

Uma das novas localidades atendidas o IATF 2020 é o perímetro irrigado Cotinguiba-Pindoba, mantido pela Codevasf, e atende produtores de Propriá e Neópolis. “Em 2019, nosso grupo de produtores recebeu, da Secretaria da Agricultura, um botijão para armazenamento de sêmen que vem impulsionando o melhoramento genético de nosso rebanho. O trabalho agora se consolida, com a entrada dos produtores entre os beneficiários do IATF agora em 2020”, destaca o presidente da Associação dos Produtores de Leite de Neópolis (Asproleite), Francisco Ferreira Barbosa Ramos.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER