A fábrica de laticínios Sabe, instalada no município de Muribeca, está com a produção paralisada completamente e os 245 funcionários estão em casa
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A fábrica de laticínios Sabe, instalada no município de Muribeca, está com a produção paralisada completamente e os 245 funcionários estão em casa, aguardando os desdobramentos. O empresário Albano Franco, ex-governador do Estado, que lidera o grupo, se manifestou em entrevista que concedeu ao Portal Infonet no final da manhã desta segunda-feira, 25.

Ele disse que a fábrica é conduzida administrativamente pelo filho Ricardo Franco. O ex-governador informou que Ricardo Franco tem evitado dar declarações sobre a questão e garante que o grupo, especialmente o filho, está “pensando” em alternativas para reabertura do empreendimento.

Ainda não há definição sobre o destino da fábrica. O ex-governador não descarta alternativas e sinaliza para formação de parcerias com outros conglomerados e até mesmo a venda do empreendimento. Conforme Albano Franco, a decisão pela paralisação da produção é consequência do momento crítico da economia brasileira. “É uma fábrica moderna, com equipamento alemão, que produz iogurte, suco… muito bom”, diz. “Nosso esforço é para continuar [produzindo]”, ressaltou.

A paralisação da produção da fábrica de laticínios causa preocupação na região. Empresários e lideranças políticas manifestaram solidariedade aos trabalhadores, que permanecem sem informações precisas sobre o destino que os aguarda e até cobram a interferência do Governo do Estado na busca de alternativa para manter os empregos na região.”O governador Belivaldo Chagas tem muito boa vontade e precisa intervir, tentar ajudar ou encontrar alternativas para impedir que a fábrica feche e muitas famílias fiquem destruídas”, declarou o empresário Ezequiel Leite, ex-prefeito de Capela, em nota enviada aos jornalistas pela assessoria de imprensa.

O secretário de comunicação social do Estado de Sergipe, Sales Neto, informou que se trata de um empreendimento privado e que o Governo não tem poder de interferir na iniciativa privada. O Governo, conforme o secretário, vê com preocupação em decorrência dos 245 empregos que estão em jogo, “mas não tem poder de decisão sobre a gestão privada”.

O ex-governador Albano Franco fez contato com o Portal Infonet para acrescentar que o grupo honrará todos os compromisso, quitará todos eventuais débitos com produtores e fornecedores e também vai garantir todos os direitos trabalhistas dos funcionários. “Como sempre honramos e é por isso que temos qualidade e imagem no mercado”, destacou.

Em novembro, o preço do leite registrou nova queda em Minas Gerais.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER