O desenvolvimento do mercado "não tem sido paralelo aos pensamentos iniciais" da empresa, diz Francisco Rodríguez.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
O presidente de Industrias Lácteas Asturianas-Reny Picot (ILAS), Francisco Rodríguez LA GRANDA COURSES

O presidente da Industrias Lácteas Asturianas (Ilas), Francisco Rodríguez, atribuiu o anunciado fechamento da fábrica da Danone em Salas ao problema dos “custos excessivos de produção”, e assinalou que o desenvolvimento do mercado “não foi paralelo aos pensamentos iniciais” da empresa.

Na sexta-feira passada, a direção da Danone apresentou uma proposta aos representantes sindicais para cessar a atividade em sua fábrica em Salas, que emprega 79 trabalhadores.

“O pouco que sei é que a fábrica instalada em Salas tem uma produção menor do que deveria para o que custa hoje ter uma fábrica funcionando”, disse ele aos jornalistas, por ocasião da apresentação do documento “A Declaração de Monteagudo”, do qual é co-autor junto com Jesús Arango, José Cardín, Santiago Menéndez de Luarca, Marcelino González e Roberto Paraja.

Rodríguez, que entre outras marcas administra Reny Picot, alertou sobre a necessidade de as fábricas de laticínios terem uma “estrutura adequada”, o que requer “volume” e se não “há problemas”.

“Não é um problema novo, ele vem se arrastando há anos devido ao custo excessivo de produção”, enfatizou Rodríguez, que estabeleceu uma relação com o consumo, que no caso dos produtos fabricados na fábrica de Salas, ressaltou, “certamente não teve o desenvolvimento que eles pensavam que teria”, relata a EFE.

 

Traduzido com DeepL

Desestimulados com o mercado leiteiro em Goiás, produtores abandonam a produção e preço do leite dispara.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER