A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta quinta-feira (1) sobre a política de comércio exterior brasileira. O debate será realizado às 11 horas, no plenário 5.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
comércio
Redução do IPI é um dos pontos citados pelo deputado Zé Neto

O deputado Zé Neto (PT-BA), que pediu a audiência, lembrou que a política de comércio exterior de um país é fundamental para a inserção externa na economia mundial e para o desenvolvimento econômico e social.

“O governo brasileiro tem promovido uma política comercial que tem entre seus eixos o objetivo de realizar uma liberalização comercial unilateral, sem contrapartida de acesso a outros mercados”, disse.

Para o deputado, o setor produtivo nacional deve ser significativamente impactado por essas medidas, especialmente a indústria. E lembrou que foram realizadas alterações na legislação infralegal sobre ex-tarifários para facilitar importações.

“Entre os exemplos de diminuição de imposto de importação estão os cortes de 10% em bens de capital (BK) e tecnologias da informação e comunicação (TICs) e de 10% de quase todos os produtos da Tarifa Externa Comum (TEC), realizados por parte do Brasil. Adicionalmente, o governo reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em 35%, para produtos locais e estrangeiros, com impactos elevados também sobre a Zona Franca de Manaus”, explicou Zé Neto.

Debatedores
Confirmaram presença na audiência:
– a gerente de Comércio e Integração Internacional da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Constanza Negri Biasutti;
– a diretora-executiva de Mercado Externo do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Patrícia Gomes;
– o gerente-executivo do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, José Marcelo de Castro Lima; e
– o presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia (Sindileite), Paulo Cintra.

Ano de 2021 terminou com dificuldades para os laticínios, mas cenário piorou durante 2º semestre de 2022.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER