As importações de lácteos recuaram em março na comparação mensal, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). No mês, o volume reduziu 33,4%.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

As importações de lácteos recuaram em março na comparação mensal, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). No mês, o volume reduziu 33,4%. Os gastos também caíram na mesma proporção, 32,5%, em igual comparação.

O principal produto adquirido no período foi o leite em pó, que representou 57,3% do total comprado. A aquisição do produto na comparação mês a mês reduziu 46,7%.

Os maiores fornecedores, em volume, foram a Argentina e o Uruguai, representando 66,9% e 22,2% do total embarcado, respectivamente.

O recuo no volume internacionalizado pode ser explicado devido a menor produção de matéria-prima nos principais fornecedores e também devido à alta do dólar, que reduziu a atratividade de compra dos produtos no âmbito externo.

Apesar da redução na comparação mensal, no primeiro trimestre as importações cresceram 45,6% em volume na comparação anual.

No parcial de abril, até a terceira semana, a média diária foi de US$1,90 milhão em gastos com as importações de lácteos, aumento de 1,0% na comparação mensal e queda de 0,4% em relação a abril de 2018.

Os empresários mexicanos que se dedicam ao negócio do queijo e laticínios têm enfrentado uma situação difícil nos últimos meses.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER