Proteínas são nutrientes complexos que – por sua diversidade de composição, conformação e funcionalidade – desempenham uma gama variada de funções.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Proteínas são nutrientes complexos que – por sua diversidade de composição, conformação e funcionalidade – desempenham uma gama variada de funções. No organismo humano, por exemplo, elas tem papéis estruturais, enzimáticos, de transporte, de defesa e reserva energética.

O adequado consumo de proteínas garante o aporte de nitrogênio e de aminoácidos, necessários à manutenção da vida. Desta forma, para adultos, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o consumo diário de proteínas equivalente a 0,83g/kg de peso por dia.

As proteínas de origem animal exibem maior qualidade nutricional, quando comparadas com as de origem vegetal. As proteínas lácteas, por exemplo, contem teores consideráveis de aminoácidos indispensáveis e que o organismo não é capaz de produzir.

As proteínas lácteas e sua importância para a vida

Caseínas e proteínas do soro compõem os dois grupos basilares de proteínas lácteas, as quais representam aproximadamente 3% dos constituintes do leite. Ambos os grupos são excepcionais para a manutenção e para o ganho de massa muscular.

Um adequado perfil muscular reflete-se em força, equilíbrio e é fundamental no emagrecimento e no envelhecimento saudável. É importante destacar, também, que as caseínas tem grande capacidade de carrear minerais primordiais ao sustento do metabolismo, como: potássio, cálcio, fósforo e magnésio.

As proteínas lácteas são, ainda, fontes de taurina e de glutationa. Respectivamente, elas desempenham proteção endotelial e defesa antioxidante. Neste último caso, os pulmões são um alvo importante, no que diz respeito às disfunções respiratórias.

Está claro que o consumo regular de proteínas lácteas é recomendado para garantir um adequado aporte nutricional ao organismo. Porém, não apenas tal fato torna estas proteínas singulares. Recentemente, autores têm abordado a bioatividade de certas frações proteicas, os peptídeos bioativos. A bioatividade pode ser considerada como a capacidade de atuar positivamente sobre os múltiplos sistemas do organismo humano. Efeitos anti-hipertensivo, antimicrobiano e imunomodulador foram observados.

Além disto, para a saúde óssea, pesquisadores mostraram os benefícios do consumo de proteínas lácteas, dado que – além da abundância de cálcio no leite – os peptídeos bioativos são capazes de modular estágios da remodelação óssea. Também, as proteínas associadas à membrana do glóbulo de gordura são relevantes e, por apresentarem atividade biológica, são consideradas promotoras de saúde.

No tocante à vigente pandemia da Covid-19o leite é descrito como uma escolha alimentar excelente. Um dos aspectos que explica esta constatação é a presença de lactoferrina. Esta é uma proteína do soro do leite eficiente em regular o sistema imunológico e em exercer papel antimicrobiano (REN; CHENG; WANG, 2021).

Em suma, pode-se afirmar que as proteínas lácteas são fundamentais no que concerne à adequada nutrição e à promoção da qualidade de vida.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER