A Prolesur da Fonterra está liderando uma recuperação histórica da produção de leite chilena, e colhe os benefícios de ter construído um bom relacionamento com os agricultores.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Fonterra/Chile – A Prolesur da Fonterra está liderando uma recuperação histórica da produção de leite chilena, e colhe os benefícios de ter construído um bom relacionamento com os agricultores.

A captação de leite no país latino-americano atingiu 1,3 bilhões de litros nos primeiros oito meses do ano, um aumento de 6,3% em relação ao ano anterior, ou 79 milhões de litros de leite a mais. Mais da metade do aumento foi comprado pela Prolesur.

“A Prolesur vem trabalhando nos últimos 18 meses para recuperar os volumes de leite perdidos entre 2018 e 2019. Isso exigiu aproximação estreita com os agricultores para recuperar a confinação e tornar os preços mais competitivos”, disse o diretor Erich Becker.

A Prolesur captou 147 milhões de litros de leite nos primeiros 8 meses do ano, 42% a mais do que os 103,5 captados no mesmo período de 2019.

O outro negócio da Fonterra no Chile, a Soprole também registrou aumento. Foi de 120 milhões no ano passado para 124 milhões este ano.

A Fonterra é proprietária do processamento de leite da Prolesur e da Soprole. Juntas elas captam 20% do leite produzido no Chile.

“A produção de leite no Chile está conseguindo um aumento importante. Até agora, já está com volumes 6% acima dos verificados no mesmo período de 2019. A maior parte do crescimento é resultado do clima, especialmente na região sul do país”, disse Monica Ganley, diretora da Quarterra Consulting & Advisory, com sede em Buenos Aires.

Para os investimentos da Fonterra no Chile, que estão sob escrutínio nos últimos anos, o crescimento é uma ótima notícia, principalmente quando a cooperativa está focada em voltar suas atividades para a Nova Zelândia.

No balanço de 2019 a Soprole registrou queda de 30% em seu lucro anual, pois enfrentou uma campanha nacionalista “compre produtos do Chile” e protestos em todo o país. A Prolesur, por sua vez, teve perdas relacionadas à queda da captação de leite, quando diversos fornecedores locais abandonaram a empresa.

Os preços do leite continuam firmes, apesar de uma leve redução em agosto, com margens saudáveis motivando os produtores.

Ganley da Quarterra, no entanto, observou que o clima é o maior fator de risco – dado que grande parte do continente está em condições secas – e será fundamental que as pastagens recebam alguma chuva em breve, para continuarem crescendo.

A melhora do panorama é uma boa notícia para a Fonterra se manter firme no negócio.

O diretor executivo, Miles Hurrell, disse recentemente que o Chile é um negócio independente e “não faz parte de nossa estratégia de leite da Nova Zelândia para o mundo”.

A cooperativa ainda está confortável com “os negócios chilenos, mas precisamos ver alguma melhora no desempenho nos próximos um ou dois anos”, disse ele.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER