Controle do antibiótico no leite passa a ser cobrado de forma mais efetiva.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Nesta quarta-feira (29) entraram em vigor as novas Instruções Normativas 76 e 77. O Laboratório de Qualidade do Leite da Univates já está apto a analisar as novas orientações da legislação.

O espaço realiza ensaios em amostras de leite cru vindas de propriedades rurais de laticínios, de controle oficial e de programas específicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A Instrução Normativa 62, que regulamenta a produção do leite, seu transporte e entrada na indústria, publicada pelo Mapa e adotada pelo Laboratório Unianálises da Universidade, foi revogada.

De acordo com as novas instruções, o controle do antibiótico no leite passa a ser cobrado de forma mais efetiva. Deve ser feita a análise individual e mensal do leite de cada produtor, em que se verificará a presença ou a ausência de antibiótico no leite, medicamento que é administrado ao animal para tratamento de alguma doença.

O Laboratório de Qualidade do Leite analisa amostras de cerca de 24 mil produtores mensalmente e atende a empresas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. AI/NR

A companhia de lácteos Fonterra, da Nova Zelândia, obteve lucro de 583 milhões de dólares neozelandeses (US$ 341 milhões), depois de impostos, no ano fiscal 2022, encerrado em 31 de julho. O resultado representa queda de 3% ante o período anterior.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER