Foi divulgado pela Leite Brasil o resultado do 22º Ranking das Maiores Empresas de Laticínios do Brasil no ano de 2018. A pesquisa neste ano apresentou os dados das 13 maiores empresas do setor
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

Foi divulgado pela Leite Brasil o resultado do 22º Ranking das Maiores Empresas de Laticínios do Brasil no ano de 2018. A pesquisa neste ano apresentou os dados das 13 maiores empresas do setor que tiveram um crescimento de 1,2% na captação de leite, somando um total de 7,5 bilhões de litros (cerca de 20,7 milhões de litros diários).

 

Estimativa – A estimativa da capacidade instalada de processamento de leite das empresas do ranking 2018 foi de 10,4 bilhões de litros ao ano (cerca de 28,5 milhões de litros diários); assim, os 13 maiores laticínios utilizaram cerca de 72,6% da sua capacidade em 2018. Vale destacar que em 2017, a capacidade utilizada foi de 62,1%, o que indica uma redução na ociosidade das indústrias.

 

Estagnação – Segundo Roberto Jank, vice-presidente da Leite Brasil, 2018 se configurou como mais um ano no qual o setor mostrou uma estagnação ou pequeno crescimento. “Por meio do levantamento notamos que por mais um ano andamos de lado. Esses 13 laticínios representam aproximadamente 30% da produção formal de leite no Brasil e basicamente eles não mudaram consideravelmente o percentual de leite total. Pelo 5º ano consecutivo, a captação expandiu ligeiramente”, disse.

 

Produção diária – A produção diária do produtor médio destas empresas cresceu 6,4% – crescimento menos vigoroso que os 7,1% do ano anterior, porém, maior que os 5,4% de 2016. A média de produção por produtor foi de 411 litros/dia contra 387 litros/dia do levantamento de 2017.

 

Produtores fornecedores – Também vale destacar que no ranking de 2017, o número de produtores fornecedores havia caído 5% e em 2018, a queda foi menor, de 3,2%.

 

Recuo – Em primeiro lugar no ranking, a Nestlé viu a sua captação recuar 4,6%, com uma média de 1,6 bilhão de litros.

 

Outras posições – Assim como no ano anterior, Laticínios Bela Vista (Piracanjuba) e Unium (Intercooperação de Lácteos das Cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, todas no Paraná) se posicionaram no segundo e terceiro lugar, respectivamente ambas com crescimento, de 4,9% e 0,3%.

 

Produção em alta – É interessante notar que a Nestlé, mesmo com redução de 22,9% no número de produtores de leite, aumentou em 12,6% a produção de leite por produtor/dia, o que mostra que a empresa vem focando em fornecedores mais produtivos e profissionais. O mesmo ocorre com a Unium, que teve queda de 12,1% no número de produtores, mas os litros de leite por produtor/dia expandiram 22,3%.

 

Tabela – Ranking dos 13 maiores laticínios por litros/produtor em 2018. Fonte dos dados: Leite Brasil, elaborado pela Equipe MilkPoint. Na quantidade de litros captada por produtor a Danone permaneceu apresentando a maior média, com 1.665 litros/produtor/dia.

 

Volume – Este volume é 28,1% inferior ao ano de 2017, mas, 10,5% superior ao segundo colocado, a Unium, que teve média de 1.498 litros/produtor/dia e inclusive, o maior crescimento neste item dentre as outras empresas, de 22,3%. Queda na captação diária de leite por produtor foi verificada – além da Danone – na Centroleite (-7,7%), DPA Brasil (- 3,5%) e Frimesa (-1,5%). (Informe Capal)

 

 

Em disputa, estará o título de “campeão dos campões”, que vai valer duas motos e o valor de R$ 10 mil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER