União dos produtores de leite e incentivo da prefeitura podem trazer a Piracanjuba.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Com a grave crise instalada nos principais municípios produtores de leites situados na região do Araguaia, principalmente em Campinápolis, Novo São Joaquim, Água Boa, Nova Xavantina, Bom Jesus do Araguaia e Confresa, informações que chegaram até nossa reportagem que os leiteiros poderão ter mais uma opção de peso na hora de vender o seu leite, trata-se de um dos maiores laticínios do país, a Piracanjuba.

A união dos produtores que decidiram por sua grande maioria em suspender a entrega do leite aos laticínios que já atuam na região, como Cajes e Camapileite, despertou ainda mais os interesses de outras empresas que trabalham neste ramo. Paralisação se deu pelo baixo valor pago no produto, que antes era comercializado a 2 reais e passou para 1,60 reais.

Referência na nacional na produção derivados do leite, a Piracanjuba, sabe que esta região do Araguaia, é amplamente conhecida como a bacia leiteira pela grande produção de leite diária e é um grande atrativo para a megaempresa.

Outro ponto importante foi a sinalização que a prefeitura municipal de Novo São Joaquim fez, ao enviar uma carta de intenção a Piracanjuba, manifestando o interesse em ter a empresa em seu município.

O prefeito Leonardo Farias, para ajudar todos os produtores da região está disposto oferecer incentivos fiscais (permitidos por lei) e a doação do terreno para que a empresa, de imediato instale neste primeiro momento um ponto de captação do leite, iniciando suas atividades, até que ela estruture o seu lacticínio no município. Segundo o prefeito e o vereador Auder Leandro, objetivo é desta ação é para fortalecimento da bacia leiteira da região e valorização do produto, com melhor preço. Veja o documento.

Com chegada de uma empresa deste porte, quem ganha certamente são os produtores rurais, que concorrência, poderão escolher, diante do melhor preço onde querem vender seu produto.

Fonterra diz que o acordo de livre comércio permite pequenas bolsas de acesso. Os fabricantes de queijo não estão satisfeitos que o uso do nome Feta seja perdido.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER