O Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio Grande do Sul (Sindilat/RS) e a Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

O Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio Grande do Sul (Sindilat/RS) e a Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS) estão fazendo todos os esforços visando à manutenção dos serviços em todos os laticínios associados e à garantia do recolhimento de leite nas propriedades rurais neste momento de pandemia provocada pelo novos coronavírus (Covid-19).

Isso foi o que as duas entidades informaram à Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando). Nesta terça-feira 31, o presidente da Gadolando, Marcos Tang, disse que conversou com os presidentes do (Sindilat/RS), Alexandre Guerra, e da Apil/RS), Delcio Giacomini, e obteve a garantia de que os laticínios estão se esforçando para manter suas atividades.

“Ao mesmo tempo em que há o entendimento e recomendação sobre o distanciamento social por causa da pandemia, evitando aglomerações, há a preocupação com os produtores de leite para que o recolhimento nas propriedades não seja suspenso, agravando ainda mais a situação já enfrentada devido à estiagem”, destacou Tang, em nova divulgada pela Gadolando.

As perspectivas dos fundamentos do mercado apertaram-se ainda mais do lado da oferta no último mês, com o pico de produção na NZ a permanecer mais fraco do que o esperado e a contínua pressão descendente sobre a produção de leite da UE.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER