O custo de produção de leite teve forte queda em setembro.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
leite

A variação do ICPLeite/Embrapa no mês foi de -0,9%. No terceiro trimestre (julho a setembro), que correspondeu ao pico da entressafra no Brasil Central, os custos subiram 1,3%. Ao longo de 2022 os custos cresceram 3,4% e, ao longo de doze meses, ficou 8,0% mais caro produzir leite.

Maiores impactos na queda do custo de produção

O grupo Volumosos apresentou a maior variação negativa, carreada pela queda de preços dos
adubos e do óleo diesel. Este grupo caiu 5,4%, registrando uma queda significativa em termos quantitativos. Ademais, também foi importante em termos relativos, já a produção de alimentação verde tem peso importante para o cálculo do indicador de custos. O grupo Energia e combustível apresentou a segunda maior queda motivada pelo reajuste na no óleo díesel, principalmente, com queda de 1,9%. O grupo Sanidade e reprodução, teve queda de 0,1%.

Se o grupo Volumosos contribuiu para a queda do custo de produção, o grupo Concentrado onerou o custo, mas em proporção menor, com elevação de 1,0%. Os custos do grupo Minerais cresceram 0,5% e o grupo de maior elevação de custos de produção em setembro foi Qualidade do leite, que cresceu em 2,1%. Não houve variação no custo da Mão de obra em setembro.

Boletim de Preços
Informe com análise e acompanhamento das variações de preços de indicadores de interesse da cadeia do leite.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER