Diante do cenário de recuo nos valores desde setembro do ano passado, muitos produtores falam em abandonar a atividade.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A demanda enfraquecida na pecuária de leite está pressionando os preços pagos aos produtores. Com isso, as margens apertadas fazem com que produtores de leite considerem abandonar a atividade.

Um dos pontos centrais dessa pressão é a perda do poder de compra do consumidor, que está influenciando os preços de negociação com o produtor. De acordo com o Cepea, há uma tendência de queda nas cotações do leite desde setembro do ano passado.

Em janeiro de 2021, o valor de negociação era de R$ 2,23 o litro, em janeiro deste ano a média Brasil líquida já está em R$ 2,10, retração de 0,6%.

“Se a gente considerar esse valor agora para janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, é uma perda no preço de quase 6% em termos reais. Então essa diminuição no patamar de preço está muito ligada com a fragilidade da demanda. Temos observado uma dificuldade muito grande das indústrias em assegurar a negociação dos derivados lácteos na ponta final da cadeia”, diz a pesquisadora do Cepea, Natália Grigol.

Houve queda de preços no momento em que se esperava excesso de oferta, e a redução dos valores de negociação aconteceu pela queda da demanda. Esse foi mais um agravante de limitação de investimentos na pecuária leiteira. O produtor continua sofrendo com patamares de custo de produção muito elevados. No Paraná, o risco de abandono de atividade também está preocupando.

“Na minha história como produtor, representante de produtores, esse será o ano mais desafiador que nós vamos ter pela frente”, afirma o vice-presidente do Consleite-PR, Ronei Volpi.

Outro delalhe na cadeia do leite observada pelo Cepea é a queda no número de fornecedores. Por outro lado, vemos produtores investindo e aumentando a produção.

“O produtor que quer ficar na atividade precisa ser eficiente e aumentar a escala de produção. O maior custo que a indústria tem é fazer essa captação, de transacionar esse leite junto ao produtor. De fato, a gente tem hoje estímulos dentro do setor para a saída dos produtores que não estão conseguindo atingir pontos de equilíbrio dentro do seu sistema produtivo. Normalmente quem sofre mais com esse momento de oscilação da receita e alta de custo de produção é o produtor médio, pois ele está buscando o aumento da escala, então é difícil ele segurar por muitos meses consecutivos”, pontua Natália Grigol.

O Ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca da Nação, Julián Domínguez, realizou uma reunião bilateral com seu homólogo brasileiro, Marcos Montes Cordeiro.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER