O preço do leite captado em maio de 2022 e pago aos produtores em junho de 2022 registrou aumento de 4,6% frente ao mês anterior.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Leite

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, os preços ao produtor podem subir mais de 15% no mês de julho. O preço do leite captado em maio de 2022 e pago aos produtores em junho de 2022 registrou aumento de 4,6% frente ao mês anterior (a quinta alta consecutiva), chegando a R$ 2,6801/litro na “Média Brasil” líquida do Cepea. Desde janeiro deste ano, o leite no campo acumula valorização real de 19,8% (valores deflacionados pelo IPCA de junho/22). As pesquisas ainda em andamento do Cepea apontam forte elevação dos preços em julho (referente à captação de junho): estima-se que a “Média Brasil” líquida possa subir mais de 15%, ultrapassando o patamar de R$ 3,00/litro.

Preços dos derivados disparam em junho

Importações de lácteos sobem 30% em junho

As importações de lácteos subiram 30,2% entre maio e junho, totalizando 85,26 milhões de litros em equivalente leite, segundo a Secex. Com isso, o volume internalizado de lácteos já supera em 17,28% o registrado em junho/21. Ainda assim, comparando-se a quantidade total adquirida nesse primeiro semestre (365,4 milhões de litros em equivalente leite) com o mesmo período do ano passado, observa-se queda de 34,41%.

COE da pecuária leiteira volta a subir; alta no 1º semestre é de 4,35%

Depois da leve queda em maio, o Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária leiteira apresentou ligeira alta de 0,10% em junho, considerando-se a “Média Brasil” (BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP). No acumulado de 2022 (de janeiro a junho), a elevação do COE é de 4,35% – vale lembrar que, no mesmo período do ano passado, o COE havia aumentado 11,49%

Foto: Climatempo

GettyImages

Tendência do Clima

Uma frente fria avança pelo Sul do Brasil nesta quinta-feira e já provoca chuva na Região Sul. Pancadas de chuva com raios e até com potencial para temporais já se espalham sobre parte da Região. Conforme essa frente fria avança, a chuva também se espalha sobre as demais áreas do Sul, parte do Sudeste e do Centro-Oeste.

O sul do estado gaúcho ainda pode ser impactado na finalização das culturas de inverno, pois já chove na região há vários dias e o solo já está bastante úmido.

O ar polar vai provocar acentuado declínio nas temperaturas no centro-sul do Brasil até o fim do mês. Nas áreas produtoras do Sudeste e do Centro-Oeste, a chance de gear é baixa ao longo do fim de semana. Nas áreas produtoras de cana de açúcar, café e milho segunda safra não há expectativa para geada.

Enquanto isso, no MATOPIBA, o ar continua muito seco nos próximos dias, o que favorece o ritmo acelerado na maturação e colheita do algodão no oeste da Bahia.

Como monitorar o Clima na sua fazenda?

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra.

O AgroclimaPRO é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações.

É praticamente impossível tirar certos aperitivos do gosto do brasileiro. Sabendo disso, uma pesquisa decidiu apurar um dos nossos xodós do cardápio nacional e elegeu o melhor requeijão que hoje é vendido no Brasil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER