O governo do Estado do Rio Grande do Sul decidiu prorrogar, até o dia 30 de setembro, a medida que desobriga a emissão de Nota Fiscal do Produtor nas saídas de leite destinadas à indústria de laticínios.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O governo do Estado do Rio Grande do Sul decidiu prorrogar, até o dia 30 de setembro, a medida que desobriga a emissão de Nota Fiscal do Produtor nas saídas de leite destinadas à indústria de laticínios. Publicada no Diário Oficial do Rio Grande do Sul (DOE) na sexta-feira, 10, a decisão vale desde o dia 1º de julho, data em que voltaria a exigência, e foi comemorada pelo setor.

 

“O ideal é que a medida seguisse suspensa até o fim dos efeitos da pandemia (de covid-19)”, disse o presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, em nota. Conforme a entidade, a decisão foi tomada de forma a minimizar os efeitos da crise ocasionada pela Covid-19 na produção de leite e auxiliando no distanciamento social, no fluxo de pessoas entre as propriedades rurais e as fábricas.

A companhia de lácteos Fonterra, da Nova Zelândia, obteve lucro de 583 milhões de dólares neozelandeses (US$ 341 milhões), depois de impostos, no ano fiscal 2022, encerrado em 31 de julho. O resultado representa queda de 3% ante o período anterior.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER