O governo do Estado do Rio Grande do Sul decidiu prorrogar, até o dia 30 de setembro, a medida que desobriga a emissão de Nota Fiscal do Produtor nas saídas de leite destinadas à indústria de laticínios.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O governo do Estado do Rio Grande do Sul decidiu prorrogar, até o dia 30 de setembro, a medida que desobriga a emissão de Nota Fiscal do Produtor nas saídas de leite destinadas à indústria de laticínios. Publicada no Diário Oficial do Rio Grande do Sul (DOE) na sexta-feira, 10, a decisão vale desde o dia 1º de julho, data em que voltaria a exigência, e foi comemorada pelo setor.

 

“O ideal é que a medida seguisse suspensa até o fim dos efeitos da pandemia (de covid-19)”, disse o presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, em nota. Conforme a entidade, a decisão foi tomada de forma a minimizar os efeitos da crise ocasionada pela Covid-19 na produção de leite e auxiliando no distanciamento social, no fluxo de pessoas entre as propriedades rurais e as fábricas.

Deputado federal goiano conseguiu aprovar proposta que tramitava desde o início de 2019 em defesa de um mercado equilibrado na indústria láctea.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER