O leite e derivados foram os produtos que mais pesaram no bolso do consumidor nos últimos meses.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
leite

Em agosto, a categoria acumulou alta anual de 60,81% nos preços, segundo os dados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

No entanto, os valores estão arrefecendo: a prévia da inflação mostra uma queda de 5,08% dos laticínios em setembro, puxado pelo leite longa vida, que caiu 12,01%.

De acordo com o Centro de Inteligência do Leite da Embrapa, no mercado atacadista, a queda do produto foi ainda maior, de -23,5% em agosto.

Nas altas e baixas do leite

A forte pressão sobre o preço do leite e seus derivados foi motivada por vários fatores. Um deles foi o período de entressafra, que ocorre nos meses de outono/inverno, quando há menos pasto para o rebanho. Com isso, a tendência é de um maior gasto com ração e declínio da produção.

Esse é um fator já conhecido pelo mercado. O problema é que a guerra entre a Rússia e a Ucrânia encareceu os fertilizantes, combustíveis commodities agrícolas, que pressionaram ainda mais o custo. Também é importante considerar a alta do dólar na composição do preço.

Agora, o cenário é outro: com a chegada da primavera no Brasil, já é possível perceber um aumento na produção.

“O spot [diferença entre compra e venda] registrou queda de 37,6% no preço praticado em agosto, fechando a segunda quinzena a R$ 2,83 o litro”, afirma Glauco Carvalho, pesquisador da Embrapa. “Isso sinaliza uma rápida mudança de tendência em relação aos últimos meses, demonstrando que começou a haver maior quantidade da matéria-prima disponível na indústria”.

Os produtores também investiram mais na alimentação do rebanho e as vacas responderam com maior volume de leite.

Outro fator que puxa os preços do leite para baixo é a queda na procura pelo produto por parte do consumidor. “A inflação comprometeu o poder de compra dos salários e impôs dificuldades para o mercado assimilar o aumento dos preços, o que causou redução significativa da demanda”, afirma Carvalho.

Em um momento em que as exportações de lácteos dos EUA estão aumentando, acaba de ser anunciado que a Cúpula Mundial dos Laticínios (World Dairy Summit) será realizada em Chicago, de 16 a 19 de outubro de 2023.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER