Chocolate ao leite, chocolate amargo, branco, ruby, nobre, fracionado e, até mesmo, hidrogenado são alguns dos tipos desse alimento que faz parte da humanidade há quase 4 mil anos.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
chocolate

Desde então, a forma de fabricação vem se adaptando ao gosto do consumidor. Agora, que tal experimentá-lo com uma produção feita à base de leite de cabra, de búfala ou de ovelha?

Uma pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos da Uesb fez um estudo comparativo a partir da produção de chocolates com leite de vaca, de cabra, de búfala e de ovelha. O trabalho revela possibilidades para esse tipo de produção ao substituir o tradicional leite utilizado por um desses tipos “não tradicionais”, implicando, inclusive, ganhos para o produto.

Cada vez mais, o setor alimentício busca inovação na produção. Dessa forma, de acordo a pesquisadora Daniele Gomes, os resultados contribuem com uma maior aplicabilidade do leite oriundo dessas diferentes espécies e, consequentemente, agrega valor à produção. Segundo Gomes, esses tipos de leite são comumente utilizados na fabricação de queijos e iogurte. “Para a indústria de chocolate, é interessante utilizar o leite em pó de outras espécies devido à diversidade de produtos no mercado e a inclusão de novos sabores e características ao chocolate”, acrescenta.

Outros benefícios se estendem, por exemplo, no que diz respeito ao valor nutricional do chocolate fabricado com o leite de ovelha. Dados pontuam que o alimento é mais rico em proteína. O estudo revela, também, que essas novas produções possuem características que atendem aos padrões quando comparado com o leite em pó de vaca, e que o tempo de durabilidade em prateleiras chega a um ano após a produção.

Impacto no consumo – Durante o processo de construção do trabalho, testes sensoriais foram realizados para identificar a intenção de compra. Neste caso, os produtos feitos tanto com leite de búfala quanto de ovelha obtiveram maior pontuação na avaliação feita pelos consumidores. Fatores como a diferença de sabor, cremosidade e aroma dos chocolates foram características destacadas entre os provadores.

Segundo a pesquisadora, “foi possível observar, também, que o consumo do chocolate, para algumas pessoas, está associado à fuga dos sentimentos desagradáveis, à lembrança da infância e às sensações de prazer e de felicidade”, pontua.

A ideia é que, futuramente, também possam ser produzidos chocolate branco ao leite de cabra, de búfala e de ovelha. Outro avanço aguardado é em torno do desempenho desses leites em pesquisas com variação na concentração de leite, por exemplo, e na estabilidade do leite em pó de ovelha.

Boletim de Preços
Informe com análise e acompanhamento das variações de preços de indicadores de interesse da cadeia do leite.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER