Sabia que o maior produtor de laticínios do mundo é responsável por 22% da oferta global? Veja quem é o líder e, ainda, onde o Brasil está neste ranking. Confira!
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
maior
Foto: Parag Milk Foods Ltd | Reprodução: Dairy Global

O leite é a base de todos os laticínios e gera produtos que incluem manteiga, creme de leite, iogurte, queijos e muito mais. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), estima-se que 150 milhões de famílias em todo o mundo estejam envolvidas em alguma escala de produção de leite. Acompanhe esse artigo na integra e saiba como a Índia é o país que mais produz laticínios no mundo.

A pecuária leiteira, tem grande impacto socioeconômico onde está inserida. Atualmente, o ranking de maiores produtores de leite do mundo é, além de uma curiosidade, um bom comparativo para que a nossa pecuária nacional, possa avaliar em busca do crescimento.

O Brasil ocupa atualmente o terceiro lugar no ranking mundial da produção de leite. Os dados são do Ministério da Agricultura. O país tem capacidade para ocupar o primeiro lugar, mas essa ainda não é a realidade por causa de alguns fatores, então alguém está o ocupando. Descubra agora quem é o maior produtor de laticínios do mundo.

A cadeia produtiva do leite nacional precisa de muitos ajustes para que o Brasil se torne líder mundial. Chegaram à conclusão de que o país ainda precisa ampliar o mercado de exportação, mas também depende de mais políticas públicas de incentivo e fomento da atividade para chegar lá algum dia.

Ranking: Maior produtor de laticínios do mundo

Índia: o maior produtor de laticínios

A produção passa de 199 milhões de toneladas. Por meio da FAO, é possível ter a informação de que a Índia lidera na produção de leite em todo o mundo, respondendo por 22% da oferta global. Entretanto, cabe ressaltar que, segundo o USDA, a Índia ultrapassa os EUA porque usa leite de búfala e também da vaca.

Os dois países mantêm níveis de produção relativamente consistentes. Contudo, em 2016, a Índia era claramente a líder do setor, produzindo 154 milhões de toneladas de leite, em comparação com 96 milhões de toneladas nos EUA.

Foto: Parag Milk Foods Ltd | Reprodução: Dairy Global

Por outro lado, 80% da produção da Índia vem de pequenos agricultores, com mais de 130.000 vilarejos cooperativos. Andhra Pradesh, Gujarat e Punjab são os principais estados produtores, e todo o país não é apenas o primeiro em produção, mas também um grande consumidor do produto no mundo.

Para 2022, está previsto um aumento de 203,5 milhões de toneladas na geração de leite para comercialização da Índia. Os dados são do Serviço de Agricultura Estrangeira do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA FAS).

EUA é o maior produtor de leite de vaca

No entanto, de acordo com o Atlas Mundial, o país que é o maior produtor de leite de vaca do mundo são os Estados Unidos. Estados como Califórnia, Wisconsin, Idaho, Nova York e Pensilvânia são os maiores produtores de laticínios do país, abrigando em média 15.000 vacas cada.

Os Estados Unidos ocupam o segundo lugar. São 93,5 mil toneladas por ano e um rebanho de 9,2 milhões de cabeças. Os EUA também têm o maior índice de produtividade média por vaca, sendo 10.150 litros/vaca/ano.

Brasil ocupa o terceiro lugar como maior produtor de leite

De acordo com as últimas informações divulgadas pelo Ministério da Agricultura, o Brasil obtém atualmente mais de 34 bilhões de litros por ano. Outro dado interessante e que chama a atenção é que a produção de leite acontece em 98% dos municípios brasileiros. Isso quer dizer que o setor emprega mais de 4 milhões de pessoas.

Apesar da expressiva produção de leite nacional, o país segue ocupando o terceiro lugar no ranking. O país conta com mais de 1 milhão de propriedades produtoras de leite e as projeções do agronegócio da Secretaria de Política Agrícola, estimam que, para 2030, irão permanecer os produtores mais eficientes, que se adaptarem à nova realidade de adoção de tecnologia, melhorias na gestão e maior eficiência técnica e econômica.

“O Brasil pode ser o maior produtor mundial. Basta vontade política dos governos”, assegurou o presidente nacional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Carlos Melles, sem definir um prazo para que isso ocorra. “Essa é uma questão de política social, alimentar”, acrescentou.

Foto: Divulgação

Demanda mundial continuará a crescer e é oportunidade para o Brasil

Vivemos num planeta onde a demanda e o acesso a alimentos, de maneira segura e sustentável, cresce vertiginosamente. Apesar da taxa de natalidade mundial estar diminuindo, de acordo com levantamentos da ONU e FAO, a população mundial deve atingir ainda neste ano 8 bilhões de pessoas, podendo alcançar 10 bilhões de habitantes em 2050, o que aumentará a necessidade de produção global de alimentos entre 61% a 71% nos próximos 30 anos.

Essa demanda será alavancada especialmente pelas nações mais populosas do mundo, com destaque para os países asiáticos, os quais devem melhorar seu poder de compra, impactando diretamente no aumento do consumo de proteína animal, onde o leite e seus derivados estão inseridos.

Análises realizadas pelo instituto IFCN demonstram que entre 2020 e 2050 o consumo de leite per capita no mundo deve crescer em média 19%, aumentando a demanda global de lácteos em 51% (4,5 vezes a produção de leite atual dos EUA), o que representaria um déficit global de 22 mil toneladas de leite equivalente. Atrelado a isso, devido especialmente a questões climáticas e socioambientais, o número de fazendas ao redor do mundo deve reduzir em 61% até lá, com uma redução de 21% no número de vacas e um aumento aproximado de 88% na produtividade.

É praticamente impossível tirar certos aperitivos do gosto do brasileiro. Sabendo disso, uma pesquisa decidiu apurar um dos nossos xodós do cardápio nacional e elegeu o melhor requeijão que hoje é vendido no Brasil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER