Com uma taxa de crescimento anual composta de 11,2%, segmento é um dos que mais cresce entre os produtos à base de vegetais
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Com uma taxa de crescimento anual composta de 11,2%, segmento é um dos que mais cresce entre os produtos à base de vegetais

Economias emergentes oferecem novas oportunidades de negócios no segmento global de alternativas aos laticínios (Foto: iStock)

Com a crescente demanda global por alternativas ao leite, a previsão para 2027 é de que esse mercado ultrapasse um valor de R$ 229 bilhões, segundo pesquisa divulgada ontem (7) pela Meticulous Research, que apresenta informações que convergem com outras pesquisas sobre o segmento e que divulgamos este ano na VEGAZETA.

O total inclui não apenas versões vegetais de leite, mas também de queijos, iogurtes, sorvetes e manteigas. Com uma taxa de crescimento anual composta de 11,2%, o segmento é um dos que mais cresce entre os produtos à base de vegetais.

“O crescimento desse mercado é atribuído principalmente ao aumento da incidência de intolerância à proteína de origem animal, benefícios nutricionais oferecidos por alimentos à base de vegetais, aumento da população vegana e investimentos de risco”, informa a empresa de pesquisa global de mercado.

Outro ponto destacado são as economias emergentes que oferecem novas oportunidades de negócios no segmento global de alternativas aos laticínios.  Em 2020, o destaque desse mercado foram os leites vegetais. No entanto, a pesquisa aponta que o maior crescimento entre as alternativas não lácteas nos próximos anos será dos iogurtes vegetais.

Maior aceitação e percepção dos produtos 

Hoje não apenas a aceitação de produtos à base de soja, mas também de amêndoas, tem despertado nos consumidores um novo olhar sobre as novas opções que estão surgindo, já que o consumo de um produto de origem não animal abre caminho para o interesse por outras alternativas à base de vegetais.

Em 2020, a maior aceitação desses produtos, assim como uma oferta mais diversificada, foi identificada na Europa.

“A posição de liderança da Europa é atribuída principalmente ao aumento da conscientização sobre uma dieta rica em proteínas de origem vegetal, saúde, maior crescimento da população vegana e vegetariana e maior adoção de avanços tecnológicos na indústria de alimentos e bebidas.”

A América do Norte também tem se destacado nesse segmento. Mas isso não significa que mercados de outras regiões não estão se desenvolvendo. Exemplo disso é que a pesquisa aponta um futuro promissor na América Latina. Também revela que há um grande número de pequenas empresas investindo em alternativas aos laticínios, e que para conquistarem maior projeção têm recorrido a parcerias e colaborações.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER