Fusão entre as duas empresas foi anunciada no ano passado, porém marcas tradicionais serão mantidas no mercado.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Fusão deve impulsionar a venda de leite produzido em Minas Gerais e captado pela Embaré | Crédito: Divulgação / Embaré

Alvoar Lácteos. Este é o nome da nova empresa guarda-chuva que está à frente das operações da Embaré, que tem forte presença em Minas Gerais, e da Betânia, cuja atuação no setor lácteo é concentrada no Nordeste. No ano passado, as empresas anunciaram a fusão, e, mais recentemente, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou o processo.

De acordo com o CEO da Alvoar Lácteos, Bruno Girão, a nova marca representa o alvorecer e o desejo de alçar novos voos no mercado local e nacional. “O nome tem o papel de representar duas marcas fortes, com raízes e históricos muito bem estabelecidos nas regiões. O nosso propósito é levar conexão com os alimentos e voar com essa vontade de alcançar liderança”, afirma ele.

O CEO explica, no entanto, que os consumidores continuarão acessando os produtos, em suas respectivas regiões, com a marca de costume. Ainda que a sede da Alvoar esteja localizada no Ceará, Bruno Girão aponta que as áreas comerciais continuarão independentes, o que, para ele, é uma forma de a empresa garantir que clientes e fornecedores mantenham os mesmos fluxos de comunicação e relacionamento com a empresa em suas necessidades.

A mudança, portanto, está no que ele considera um casamento perfeito decorrente da fusão e que pode impulsionar a venda de leite de produtores mineiros. “Minas Gerais produz mais leite do que consome. E o Nordeste tem uma relação contrária a isso. Nós somos deficitários no leite fluido. A Embaré tem acesso a leite de qualidade, que é o que precisamos. Então o produtor mineiro terá o benefício de alcançar mais mercado”, avalia o CEO da Alvoar.

Estratégias

A curto prazo, Bruno acredita que o caminho da Betânia é defender o território principal, além de ganhar mais espaço e relevância em regiões onde a marca ainda não é líder no Nordeste. Ele lembra que uma das características da marca produtora de leite em pó, leite condensado, leite UHT, creme de leite, entre outros, é a distribuição mais pulverizada.

Em relação a investimentos, o CEO da Alvoar afirma que, recentemente, os parques fabris das empresas receberam recursos para ampliação e melhorias. Por isso, a ideia agora é aproveitar a capacidade ociosa da fábrica de Patrocínio, no Alto Paranaíba, para ampliar a produção e a captação de leite.

Com o perfil consolidado das marcas, a empresa agora terá como foco a distribuição dos produtos e eventuais criações de linhas de produtos específicas. “Nós vamos investir em pesquisa. Vamos entender o consumidor para ter mais assertividade em lançamentos e entender tendência, considerando que a base de consumidores está 70% no nordeste e que aqui não é possível fazer tantas sofisticações e aumentar os custos para uma população que tem menos recursos”, comenta Girão, que acrescenta, ainda, que 30% do mercado está em Minas Gerais e nos 64 países para os quais a Embaré exporta produtos.

Fonterra diz que o acordo de livre comércio permite pequenas bolsas de acesso. Os fabricantes de queijo não estão satisfeitos que o uso do nome Feta seja perdido.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER