A decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes de suspender a lei 11.140 de 08 de junho de 2018, que proibia o uso da inseminação artificial em animais de produção na Paraíba
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Proibição tiraria competitividade dos produtores de carne e leite do estado, avalia Genex

A decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes de suspender a lei 11.140 de 08 de junho de 2018, que proibia o uso da inseminação artificial em animais de produção na Paraíba, tem sido comemorada por empresas do setor. O pedido de cessação originou-se da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia).

Em comunicado, a Genex afirmou hoje que a medida poderia diminuir a competitividade da pecuária de leite e de corte no Estado. A empresa cita dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, onde aponta a estimativa do VBP (Valor Bruto da Produção Agropecuária) do país em 2019 em R$ 572,9 bilhões. Só a produção paraibana deve alcançar a cifra de R$ 1,1 bilhão – R$ 309,4 milhões referentes à pecuária.

“Os produtores de leite e carne do estado seriam extremamente prejudicados por não utilizar essa tecnologia e, consequentemente, não seriam competitivos no mercado. Os números da produção seriam afetados e isso levaria a queda na rentabilidade do setor como um todo, não só do produtor, mas da indústria também, além do consumidor, que não estaria recebendo o melhor e mais qualificado produto. O impacto serial não só econômico, mas social também”, frisa Bruno Scarpa Nilo, médico-veterinário e gerente de produto leite da Genex, em nota.

De acordo com Nilo, toda lei que proíba ou trave a utilização de uma tecnologia como a inseminação artificial não deve ser validada. “A técnica é responsável pela pulverização da melhor genética dos touros pelo mundo todo, trazendo com isso crescimento, aumento de produtividade e desenvolvimento dos produtores de leite e carne, possibilitando a produção de mais progênies dos melhores touros de cada raça”.

O comunicado ressalta ainda que a decisão foi uma conquista para toda a pecuária brasileira. “A resposta rápida do Ministro do STF Alexandre de Moraes ao problema foi de extrema relevância, pois inibirá que futuramente ações semelhantes à do Legislativo da Paraíba ocorram em outros estados”, finaliza o diretor da Genex e presidente da Asbia, Sérgio Saud. Em 2018 as vendas de sêmen bovino cresceram 14% no país, chegando a quase 14 milhões de doses.

A fraca demanda pressionou o valor, que caiu 0,6% no mês e 5,6% em 12 meses.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER