O comportamento atípico nas comercializações, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, continua trazendo impactos para o mercado de lácteos.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O comportamento atípico nas comercializações, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, continua trazendo impactos para o mercado de lácteos. Os preços dos principais produtos, como os leites UHT, spot, pasteurizado e queijo muçarela, continuam registrando grande volatilidade nos meses de abril e maio. Os dados foram apresentados na reunião do Conseleite-PR, realizada nesta terça-feira (26), por meio de videoconferência.

Entre abril e maio, o leite UHT obteve um recuo significativo no preço e volume comercializado, movimento contrário a alta registrada no período anterior (março e abril). No mesmo ritmo, segue o leite pasteurizado, que, após uma queda brusca no preço, agora retorna a um patamar próximo ao que foi registrado em março.

O queijo muçarela, produto que sofreu maior redução do volume comercializado nos meses de março e abril, continua apresentando uma tendência de queda em relação à média, apesar de indício de recuperação a partir da terceira semana de maio. “Com o fechamento de muitos estabelecimentos comerciais no mês de março, por causa da pandemia, o queijo muçarela foi o primeiro a sofrer um baque nas demandas e volume de vendas. Agora em maio, o preço começa a se recuperar, mas ainda é incerto afirmar se haverá sustentação. Esse é um período de negociações atípicas, com um mercado extremamente volátil e grande variabilidade de preços, até mesmo dentro de uma mesma indústria, o que afeta as médias”, explica o professor José Roberto Canziani, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

No panorama geral, o volume de produtos comercializados segue o mesmo movimento de oscilação. Após um pico de vendas no mês de março, devido à preocupação dos consumidores em estocar produtos, o índice caiu 20 pontos em abril. Nas últimas três semanas de maio, no entanto, o volume voltou a subir e atingiu valor acima do registrado em março.

Em conclusão, verificou-se que, dos 14 produtos lácteos, 13 apresentaram desvalorização frente ao registrado no mês de abril. A exceção foi o leite spot, que obteve alta de cerca de R$ 0,18 no primeiro decêndio de maio. Por definição do Conseleite-PR, o valor de referência do leite entregue em abril (a ser pago em maio) ficou estabelecido em R$ 1,3720, aumento de 2,56% em relação ao valor final de março. O valor de projeção para maio ficou em R$ 1,2767, indicando recuo de 8,37% em relação ao mês anterior.

“Esta é a tendência captada pelo levantamento realizado até o dia 20 de maio. Neste final do mês, o mercado está sinalizando importantes altas, em especial no leite spot, o que deve recuperar em parte este preço”, aponta o vice-presidente do Conseleite-PR e representante da FAEP, Ronei Volpi.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER