Os principais fatores de alta das cotações foram a ocorrência de geadas em importantes regiões produtoras de milho de segunda safra e perdas nas lavouras brasileiras, além do clima mais adverso nos Estados Unidos
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os preços do milho subiram em julho no mercado brasileiro.

Os principais fatores de alta das cotações foram a ocorrência de geadas em importantes regiões produtoras de milho de segunda safra e perdas nas lavouras brasileiras, além do clima mais adverso nos Estados Unidos, cujas lavouras de milho estão em fase de desenvolvimento.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, na região de Campinas-SP, a referência para o cereal fechou julho em R$106,50 por saca de 60 quilos, uma alta de 15,8% no acumulado do mês.

Na comparação com julho do ano passado, o milho está custando 108,8% mais este ano.

Para o curto e médio prazos (agosto), a expectativa é de mercado mais firme para o cereal, diante das perdas na produção de segunda safra no Brasil e demanda firme.

Porém, o avanço da colheita da segunda safra no Brasil e o clima melhor nos Estados Unidos comparativamente com as semanas anteriores poderão limitar as altas nos preços no mercado brasileiro ou pressionar para baixo as cotações pontualmente.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER