O sexto levantamento da safra brasileira de grãos 2018/2019, divulgado na última terça-feira (12/3) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), manteve a expectativa de uma boa produção de milho de segunda safra.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

O sexto levantamento da safra brasileira de grãos 2018/2019, divulgado na última terça-feira (12/3) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), manteve a expectativa de uma boa produção de milho de segunda safra.

Entretanto, apesar da perspectiva de uma boa produção, por enquanto, os preços seguem caminhando de lado no mercado físico.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, em Campinas-SP, na média parcial de março (até o dia 14/3), a saca de 60kg do cereal ficou cotada em R$42,29, sem o frete.

Na comparação com o preço médio de fevereiro último, houve alta de 0,6%. Já em relação a março de 2018, a alta foi de 8,1%.

Atualmente, com uma arroba de boi gordo o pecuarista adquire 3,65 sacas de milho, considerando a praça de São Paulo como referência.

O preço do insumo subiu 8,1% na comparação anual, enquanto a cotação da arroba teve alta 5,2%, no mesmo período. Com isso, com uma arroba de boi gordo o produtor compra 0,10 saca de milho a menos frente a março de 2018.

Para o curto prazo, a expectativa é de que a boa demanda, tanto do mercado interno quanto para exportação, mantenha os preços sustentados. A partir de junho, com a colheita da segunda safra, o mercado deve perder força.

As perspectivas dos fundamentos do mercado apertaram-se ainda mais do lado da oferta no último mês, com o pico de produção na NZ a permanecer mais fraco do que o esperado e a contínua pressão descendente sobre a produção de leite da UE.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER