Sistema chamado Ração de Lucro Máximo e desenvolvido na ESALQ-USP calcula a melhor combinação de alimentos para atender aos objetivos de pecuaristas e aumentar a eficiência da dieta dos animais.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A Ração de Lucro Máximo (RLM), um software desenvolvido no Laboratório de Nutrição Animal da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) da USP, em Piracicaba, simula processos de consumo, digestão e metabolização de nutrientes para otimizar a dieta de animais para a produção de carne e de leite. A partir de uma biblioteca de alimentos, a RLM calcula a melhor combinação para que o produtor obtenha o lucro máximo.

Dante Lanna, professor da ESALQ e um dos responsáveis pelo projeto, conta que o software é utilizado tanto por grandes empresas, quanto por pequenos produtores e afirma que os benefícios atingem a sociedade como um todo. “Você vai usar menos herbicida, vai contaminar menos os lençóis freáticos, vai usar menos óleo diesel de tratores e colheitadeiras. Por quê? Porque você está formulando a dieta de maneira eficaz. Até mesmo aqueles que nem produzem e nem consomem esses produtos estão se beneficiando pela questão ambiental.”

O zootecnista da TSA consultoria, Thiago Sérgio de Andrade, conta que, para o produtor, a RLM facilita e acelera os processos. “Você começa a enxergar esses números com facilidade dentro do sistema e simular situações e cenários em que você possa trazer maiores benefícios econômicos para os seus clientes. Para além de formular uma dieta, você consegue projetar cenários e isso é crucial hoje no dia a dia da pecuária.”

As perspectivas dos fundamentos do mercado apertaram-se ainda mais do lado da oferta no último mês, com o pico de produção na NZ a permanecer mais fraco do que o esperado e a contínua pressão descendente sobre a produção de leite da UE.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER